Avaliação das Ciências do Movimento Humano pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)

Cinthia Lopes da Silva, Tomeka M. Robinson, Milena Avelaneda Origuela, Marcio Ferreira de Souza

Resumo


Este trabalho tem como objetivo analisar a avaliação das ciências do movimento humano na área 21 da CAPES a partir de um olhar das subáreas pedagógica e sociocultural. A área 21 da CAPES no Brasil é formada pelas áreas de Educação Física, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. De acordo com dados do Brasil (2013) a área conta com 53 Programas de Pós-graduação no Brasil, sendo que 94,1% dos mesmos são de cursos de mestrado acadêmico e 52,6% são de doutorado. Os mestrados profissionais são poucos – apenas 3 no Brasil. O problema que se apresenta para essa área da CAPES é que, embora ela seja constituída por conhecimentos abrangentes tanto às Ciências Humanas como às Ciências Naturais, a política da instituição desconsidera as diferenças entre tais ciências e atribui uma elevada porcentagem da avaliação a produção acadêmica dos pesquisadores, tendo como base um ranking de revistas e um determinado número de pontos que cada pesquisador deve cumprir em seu programa. Como procedimentos metodológicos foi realizada revisão bibliográfica e um levantamento de dados sobre avaliação de programas de pós-graduação no Brasil e nos Estados Unidos. Como resultados, identificamos que há diferentes formas de se fazer a avaliação nos programas de pós-graduação, de acordo com as fontes consultadas. Os critérios assumidos pela área 21 da CAPES contribuem para incentivar: 1) a competitividade entre pesquisadores e programas de pós-graduação relacionados às ciências do movimento humano e 2) o predomínio de pesquisas originárias das ciências naturais em tais programas.


Palavras-chave


Educação Física e treinamento; Avaliação de desempenho profissional; pesquisa; Ciências Humanas; Docentes.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.