AVALIAÇÃO DA IMUNIDADE AO VÍRUS DA HEPATITE B EM PROFISSIONAIS DE UMA UNIDADE DE REFERÊNCIA

Gabriela de Cássia Oliveira dos Santos, Meib Nascimento Marques, Nayan Leonardo Sousa Lopes, Walter de Aquino Vieira Filho, Luciane Shirley Silva Lisboa

Resumo


Objetivo: Investigar a imunidade ao vírus da hepatite B nos profissionais de uma instituição de saúde. Método: Estudo descritivo com desenvolvimento transversal realizado na Unidade de Referência Especializada em Doenças Infecciosas e Parasitárias Especiais, Belém- PA, no período de agosto à novembro de 2019. Resultados: Os níveis de anti HBs acima de 10 UI/ml foi atingido por 60% (n=31) da amostra.  Dos 56% (n=29) que completaram o esquema vacinal contra a hepatite B, 76% (n=22) estavam imunes. Conclusão: É necessário ofertar exame sorológico de anti-HBs a todos os trabalhadores com comprovação vacinal completa, pois há aqueles indivíduos que não soroconvertem com o esquema primário de vacinação. Destaca-se a importância da implantação do programa de controle de saúde ocupacional com o objetivo de promover e preservar a saúde dos trabalhadores. Logo, o rastreamento dos indivíduos na anamnese ocupacional sobre o calendário vacinal é valioso para lançar mão de estratégias de promoção e prevenção, principalmente por meio da administração de imunobiológicos.

DOI: 10.36692/v13n3-9


Palavras-chave


Vírus da hepatite B; Antígenos de Superfície da Hepatite B; Risco Ocupacional

Referências


Organização Pan-Americana da Saúde. Organização Mundial da Saúde (BR). Novos dados sobre hepatites destacam necessidade de uma resposta global urgente [Internet]. Brasília, DF, abril, 2017. [Acesso em 2020 jan. 11]. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5404:novos-dados-sobre-hepatites-destacam-necessidade-de-uma-resposta-global-urgente&Itemid=812

Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico Hepatites Virais. Volume 50, Nº 17, 2019. ISSN 9352-7864.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais: Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite B e Coinfecções. Brasília, 2017.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis: Manual dos Centros de Referência para Imunobiológicos. 4. ed. Brasília, 2014.

Souza FO, Araújo TM. Exposição ocupacional e vacinação para hepatite B entre trabalhadores da atenção primária e média complexidade. Rev Bras Med Trab. 2018;16(1):36-43.

Martins AMEBL, Costa FM, Ferreira RC, Neto PES, Magalhães TA, Sá MAB, Pordeus IA. Fatores associados à imunização contra Hepatite B entre trabalhadores da Estratégia Saúde da Família. Rev Bras Enferm. 2015 jan-fev;68(1):84-92. doi:10.1590.

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de dezembro de 2012. [Internet]. [Acesso em 2018 nov. 10]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Laboratório Central do Pará. Manual de orientação para coleta, identificação, acondicionamento, preparo e transporte de material biológico para análise no laboratório central do Estado do Pará. 2ª edição revisada. 2017

Penteado MS, Pinheiro AMCM, Costa FAMM, Alves MS. Conhecimento sobre imunoprevenção e situação vacinal dos profissionais de saúde em hospitais no sul da Bahia. J Health Sci Inst. 2015;33(3):213-7.

Assoaciação Nacional de Medicina do Trabalho; Sociedade Brasileira de Imunizações. Guia de imunização SBIm/Anamt. 2016/2017.

Tumitan AR, Silgueiro LI, Gonçalves IC, Gasquez JS. Níveis de anticorpos anti-hbs em estudantes e profissionais de saúde vacinados para hepatite b de uma universidade do interior paulista. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 10(2), 41-46. Recuperado de http://journal.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1935.

mai-ago; 10(2): 41-46. DOI: 10.5747/cv.2018.v10.n2.v230.

Lopes MHL, Sartori AMC, Souza TVG, Mascheretti M, Chaves TSS. Hepatitis B revaccination for healthcare workers who are anti-HBs-negative after receiving a primary vaccination series. Rev Soc Bras Med Trop 45(5):639-642, Sep-Oct, 2012.

Osti C, Machado JM. Vírus da hepatite B: avaliação da resposta sorológica à vacina

em funcionários de limpeza de hospital-escola. Ciência & Saúde Coletiva, 15(Supl. 1):1343-1348, 2010.

Domingues BD, Cota GS, Morais RM. Avaliação da resposta imunológica à vacinação para hepatite b em profissionais de laboratórios de análises clínicas no município de Timóteo/ MG. Farmácia & Ciência, v.1, p.41-51, ago./dez. 2010.

Sousa AFL de, Oliveira LB de, Guimaraes MSO, Batista OMA, Magalhães RLB, Neta FLA. Soroconversão para vacina anti-hepatite b em enfermeiros da unidade de terapia intensiva.Rev enferm UFPE on line., Recife, 9(Supl. 9):9994-9, nov., 2015. ISSN: 1981-896. DOI: 10.5205

.

Cordeiro TMSC, Neto JNC, Cardoso MCB, Mattos AIS, Santos KOB, Araújo TM. Acidentes de trabalho com exposição à material biológico: Descrição dos casos na Bahia. R Epidemiol Control Infec, Santa Cruz do Sul, 6(2):50-56, 2016. ISSN 2238-3360. DOI: 10.17058.

Duarte AP. Vigilância dos trabalhadores de enfermagem que sofreram acidentes

de trabalho com materiais biológicos em um hospital universitário federal [dissertação]. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, 2018. Doi: 10.14393.

Organização Pan- Americana da Saúde, Organização Mundial da Saúde (BR). Enfermeiros e Enfermeiras são essenciais para avançar rumo à saúde universal [Internet]. Brasília, DF, maio, 2019.[Acesso em 2019 jan.26]. Disponívem em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5931:enfermeiras-e-enfermeiros-sao-essenciais-para-avancar-rumo-a-saude-universal-2&Itemid=844

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.