UM EQUIPAMENTO ARTESANAL COMO ALTERNATIVA PARA O FORTALECIMENTO MUSCULAR DO PUNHO: UM ESTUDO ELETROMIOGRÁFICO

Nayan Leonardo Sousa Lopes, Walter de Aquino Vieira Filho, Márcio Clementino de Souza Santos, Mônica Cardoso da Cruz

Resumo


Dentre as diversas funções das mãos, destaca-se a de preensão, tornando a relação punho-mão e o equilíbrio muscular entre os flexores e extensores do punho determinantes para realizar tal tarefa. O objetivo do estudo foi avaliar a atividade EMG dos músculos flexores e extensores do punho em comparação às fases concêntricas e excêntricas do exercício, durante a utilização do Bastão de Enrolamento. A pesquisa teve início após aprovação do CEP da UNAMA e realizada entre 01/12/14 e 15/05/15 na FISIOCLÍNICA Bélem-PA. Participaram 19 voluntárias, entre 18 a 30 anos, sedentárias ou irregularmente ativas, destras, IMC<25kg/m² e hemodinamicamente estáveis. Para captação EMG foi utilizado o Eletromiógrafo de Superfície Miotool 400, com programa de captação Miograph 2.0. As voluntárias foram submetidas a uma avaliação e triagem, posteriormente ao teste de CMV e  coleta de dados EMG utilizando-se do Bastão de enrolamento. Na amostra foi prefixado o poder do estudo=85% e erro alfa=5%, as variáveis quantitativas mediante o teste t de Student, com nível de significância=0.05 para rejeição da hipótese nula. Para o processamento estatístico foi utilizado o BioEstat 5.4. Os resultados apontam uma efetiva ativação dos músculos flexores e extensores do punho durante os exercícios com o Bastão de Enrolamento, havendo significância (p<0.0001) nos testes: F.C x F.E; E.C x E.E; F*D x F*E; E*D x E*E, os quais sugerem uma maior captação EMG na fase excêntrica do movimento e quanto maior for o braço de alavanca em relação ao punho analisado (direito).

https://doi.org/10.36692/v13n3-2


Palavras-chave


Eletromiografia; Cinesiologia; Articulação do punho; Biomecânica.

Referências


Dias J, Ovando A, Kulkamp W, Borges Junior N. Força de preensão palmar: métodos de avaliação e fatores que influenciam a medida. Rev Bras Cineamtropom Desemp Hum. 2010; 12(3) 209-2016.

Fernandes L, Bertoncello D, Pinheiro N, Drumond L. Correlações entre força de preensão manual e variáveis antropométricas da mão de jovens adultos. Fisiot Pesq. 2011; 18(2) 151-156.

Fernandes L, Araújo M, Matheus J, Medalha C, Shimano A e editores. Comparação de dois protocolos de fortalecimento para preensão palmar. Rev Bras Fisiot. 2003; 7(1) 17-23.

Foltran F, Silva L, Sato T, Coury H. What electrogoniometry sensor is most suitable for measuring wrist movement? Fisiot Mov. 2011; 24(2) 357-366.

Foltran F, Silva L, Sato T, Coury H. Wrist electrogoniometry: are current mathematical correction procedures effective in reducing crosstalk in functional assessment? Braz J Phys Ther. 2013; 17(1) 32-40.

Padula R, Souza V, Coury H. Tipos de preensão e movimentos do punho durante atividade de manuseio de carga. Rev Bras Fisiot. 2006; 10(1) 29-34.

Moreira D, Álvarez R, Gogoy J, Cambraia A. Aproach about palmar prehension usyng dynamometer JAMAR: a literature revision. Rev Bras Ci e Mov. 2003; 11(2) 95-99.

Sande L, Coury H. Aspectos biomecânicos e ergonômicos associados ao movimento de preensão palmar. Fisiot Pesq. 1998; 5(2) 71-82.

Petten A, Ávila A. Efeito do uso de órtese de punho na ativação da musculatura flexora e extensora do punho. Rev Bras Ortop. 2010; 45(1) 72-78.

Reis Filho A, Vieira Junior R, Voltarelli F. Avaliação do treinamento resistido de flexão e extensão do punho na força de preensão manual em mulheres de meia idade e idosas. Rev Bras Fisiot. 2014; 22(1) 87-95.

Sugawara L, Yanaguizawa M, Ikawa M, Takahashi R, Natour J e editores. Carpal instability. Rev Bras Reumatol. 2008; 48(1) 34-38.

Silva R. Sports injuries of the upper limb. Rev bras Ortop. 2010; 45(2) 122-131.

Roque V, Monteiro J, Pereira F, Ramos P. Reabilitação das artroplastias totais do punho. Rev Port Ortop Traum. 2012; 20(3) 303-310.

Araújo V, Carvalhais V, Ocarino J, Souza T, Fonseca S. Effect of strength and stretching training on tissue passive stiffness. Fisiot Mov. 2012; 25(4) 869-882.

Ribeiro L, Neri A. Physical exercise, muscle strength and the day to day activities of elderly women. Ciên & Sa Colet. 2012; 17(8) 2169-2180.

Coelho D, Duarte M. Parametric relationship between the center of mass identification and pressure center during quiet standing posture. Braz J Biomech. 2010; 11(20) 86-92.

Wattanaprakornkul D, Halaki M, Boettcher C, Cathers I, Ginn K. A comprehensive analysis of muscle recruitment patterns during shoulder flexion: an electromiographic study. Clinic Anatom. 2011; 24(1) 619-626.

Montgomery D. Design and analysis of Experiments. 4 ed. NY: John Wiley & Sons; 1997.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Parâmetros hemodinâmicos de normalidade. Disponível em: http://www.cardiol.br/ acesso em 01/11/2014.

Oliveira T, Laterza M, Ferreira R, Werneck F, Paixão J e editores. Effectiveness of a program of evaluation and physical exercise recommendation for women. Rev Bras Cien e Sa. 2011; 30(9) 1-8.

Souza J, Pasinato F, Basso D, Corrêa E, Silva A. Biophotogrammetry: reliability of measurements obtained with a posture assessment software (SAPO). Rev Bras Cineamtropom Desemp Hum. 2011; 13(4) 299-305.

Hermes H, Freriks B, Klug C, Rau G, Development of recommendations for SEMG sensors and sensor placement procedures. J Electrom Kinesiol. 2000; 10(1) 361-374.

Eletromiografia e Biofeedback Miotec. Manual do usuário: Eletromiógrafo Miotool 400. Disponível em: http://www.miotec.com.br/ acesso em 01/10/2014.

Bandeira C, Berni K, Bigaton D. Electromyographic analysis and strength of the wrist extensor muscle group during induced ischemia. Rev Bras Fisiot. 2009; 13(1) 31-37.

SENIAM- Surface Electromyography for the Non-Invasive Assessment of Muscles. Recommendations of sensor locations, size and type. Disponível em: http://www.seniam.org/ acesso em 01/10/2014.

Winter D. The biomechanics and motor control of human gait: nonnal, elderly and pathological. In: Winter D, organizer. University of Waterloo Press; 1991. 2 ed, p.143.

Knutson L, Soderberg G, Ballantyne B, Clarke W. A study ofvarious normalization procedures for within day electromyographic data. J Electrom Kinesiol. 1994; 4(1) 47-59.

Ervilha U, Duarte M, Amadio A. Estudo sobre procedimentos de normalização do sinal eletromiográfico durante o movimento humano. Rev Bras Fisiot. 1998; 3(1) 15-20.

Marchetti P, Duarte M. Instrumentação em eletromiografia [manual de utilização]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo, Laboratório de Biofísica; 2006.

Ayres M, Ayres Júnior M, Ayres D, Santos A. BioEstat: aplicações estatísticas nas áreas das ciências biológicas e médicas. In: Ayres M, Santos A, organizadores. Duas amostras independentes. Bélem PA: Sociedade Civil Mamirauá; 2007. 1 ed, p.128.

Ide B, Ramari C, Muramatsu L, et al. Surface electromyography aplications in exercise physiology. Rev Acta Bras Mov Hum. 2012; 2(4) 60-78.

Carpentier A, Duchateau J, Hainaut K. Load-dependent muscle strategy during plantar flexion in humans. J Electrom Kinesiol. 1998; 9(1) 1–11.

Blackburn J, Mynark R, Padua D, Guskiewicz K. Influences of experimental factors on spinal stretch reflex latency and amplitude in the human triceps surare. J Electrom Kinesiol. 2006; 16(2) 42-50.

Baptista R. Adaptações neuromecânicas ao treinamento de força utilizando ações excêntricas e concêntricas em idosos saudáveis do sexo masculino [dissertação]. Porto Alegre RS: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Educação Física; 2011.

Paulo A, Ugrinowitsch C, Leite G, Arsa G, Marchetti P e editores. Efeito agudo dos exercícios de flexibilidade no desempenho de força máxima e resistência de força de membros inferiores e superiores. Motriz. 2012; 18(2) 345-355.

Moritani T, Muramatso S, Muro M. Activity of motor units during concentric and eccentric contractions. Am J Physiol Med. 1987; 66 (2) 338–350.

Christou E, Carlton L. Motor output is more variable during eccentric compared with concentric contractions. Med Sci Sport Exer. 2002; 34(2) 1173–1778.

Delavier F. Guia dos movimentos de musculação. 5 ed. São Paulo: Manole; 2013.

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.