A SINDROME DO IMOBILISMO NO PÓS-OPERATÓRIO DE CISTO PILONIDAL

Fernando da Cunha Dantas, Mauricio Oliveira Magalhães, Tiago Costa Esteves, Vanessa do Nascimento Pinheiro

Resumo


O Cisto pilonidal é uma variante relativamente comum do cisto dermoide. Na grande maioria dos casos, a lesão se desenvolve na região terminal da coluna vertebral (região sacrococcigiana), gera um processo inflamatório que pode apresentar sinais de infecção e acúmulo de pus, dando origem a um abscesso (abscesso pilonidal), podendo deixar a pessoa vários dias acamada e com perda de massa corporal. Objetivo: Analisar se durante o pós-operatório é possível causar a síndrome do imobilismo. Métodos: Trata-se de um estudo de caráter observacional, para observar um pós-operatório de remoção do cisto pilonidal. Resultados: Foram analisados 680 prontuários, no qual foi identificado a prevalência mais frequente da faixa etária, do gênero, da distribuição geográfica, dos segmentos anatômicos acometidos e das patologias. Conclusão: Conclui-se que após a cirurgia, a lesão fica aberta e que isso pode levar o paciente a ficar vários dias em decúbito dorsal e lateral, podendo casar a síndrome do imobilismo se caso não tiver uma orientação após a cirurgia.



Palavras-chave


Síndrome da imobilidade prolongada; Seio Pilonidal; Terapia por exercício; Fisioterapia; Saúde Pública; Saúde;

Referências


MOTA C, SILVA V, A segurança da mobilização precoce

em pacientes críticos: uma revisão de literatura. 2. Interfaces

Científicas. nº01, p. 83-91, Aracaju, 2012.

SARTI T, VECINA M, FERREIRA P, Mobilização precoce

em pacientes críticos, nº 34, p. 177-82, Sorocaba, 2016.

CINTRA M, MENDONÇA A, SILVA, R, ABATE D,

Influência da fisioterapia na síndrome do imobilismo nº 01

p.68-76, João Pessoa, 2013.

De PARADES V, BOUCHARD D, JANIER M, BERGER

A. Pilonidal sinus disease. J Visc Surg. nº150 p.237–247, 2013.

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir

conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.