AVALIAÇÃO INDIRETA DO CONSUMO MÁXIMO DE OXIGÊNIO (VO2max) EM ATLETAS DE FUTEBOL DURANTE O PERÍODO COMPETITIVO

Adriano de Almeida Pereira, Marcelo Monteiro de Moraes, Steferson Rodrigo Marcimiano, Hugo Politano, Uebister Igor dos Santos Guedes, Matheus Valério Almeida Oliveira, Braulio Nascimento Lima, Marcelo Francisco Rodrigues, Luis Felipe Silio, José Ricardo Lourenço de Oliveira, Ídico Luiz Pellegrinotti, Ricardo Pablo Passos, Guanis de Barros Vilela Junior

Resumo


O presente estudo teve como objetivo mensurar o consumo máximo de oxigênio (VO2max - ml/kg/min-1) de futebolistas durante o período de competição da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro de Futebol do ano de 2021. Participaram do estudo 24 futebolistas do gênero masculino com as seguintes características: idade (anos) 21,8 ± 3,6, massa corporal (kg) 76,02 ± 7,02, percentual de gordura (%G) 9,03 ± 3,93 e estatura (cm) 177,6 ± 6,55. Para a avaliação do consumo máximo de oxigênio (VO2max - ml/kg/min-1) utilizou-se o método indireto por meio do Yo-yo Intermitent Recovery Test Nível 1 (Yo-yo IRI) e os futebolistas apresentaram os seguintes resultados: foram percorridos 1446,66 m ± 373,87m, resultando em VO2máx de 48,50 ± 3,13 ml/kg/min-1. Com base nos resultados conclui-se que o protocolo indireto utilizado, é válido, fidedigno e viável para mensurar o VO2max em futebolistas, e capaz de diferenciar níveis competitivos no futebol.

Palavras-chave


Futebol. Potência aeróbia. Yo-yo Intermitent Recovery Test Nível 1.

Referências


ARRUDA, M; SANTI MARIA, T; CAPMPEIZ, J. M; CASSIO-BOLAÑOS, M. A. Futebol: ciências aplicadas ao jogo e ao treinamento. 1ªed. São Paulo: Phorte, 2013.

BANGSBO, J.; IAIA, F. M.; KRUSTRUP, P. The Yo-Yo Intermitent recovery test: a useful tool for evaluation of physical performance in intermitente sports. Sports Med, v. 38, n. 1, p. 37-51, 2008.

BARBALHO, M. S, M; NOVOA, H. J. D; AMARAL, J. C. Consumo máximo de oxigênio (VO2) em atletas de futebol profissional de diferentes posições de jogo. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 9, n. 32, p. 37-41, 2017.

BASSO, B; FARIAS, J. M. Níveis de força explosiva e potência aeróbia de atletas de futebol. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 11, n. 43, p. 235-242, 2019.

BRAZ, T. V; SPIGOLON, L. M. P; BORIN, J. P. Propostas de bateria de testes para monitoramento das capacidades motoras no futebol. Revista da Educação Física, v. 20, n. 4, p. 569-575, 2009.

CAMPEIZ, J. M; OLIVEIRA, P. R; MAIA, G. B. M. Análise de variáveis aeróbias e antropométricas de futebolistas profissionais, juniores e juvenis. Conexões, v. 2, n. 1, p. 1-19, 2004.

DEPREZ, D; VAEYENS, R; COUNTS, A. L; LENOIR, M; PHILIPPAERTS, R. M. Relative age effect and Yo-yo IRI in Youth soccer. International Journal of Sports Medicine, v. 33, p. 987-993, 2012.

FAULKNER, J. A. Physiology of swimming and diving. In: Falls H. Exercise physiology. Baltimore: Academic Press, p. 415-446, 1968.

FÉLIX-FERREIRA, M. E; OLIOTA-RIBEIRO, L. S; NASCIMENTO, M. A; MACÊDO, J. O. R. Nível de aptidão aeróbia e anaeróbia de atletas profissionais da segunda divisão do campeonato paraibano de futebol. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 11, n. 42, p. 138-142, 2019.

FERNANDES FILHO, J. A prática da avaliação física. 2ªed. Shape: Rio de Janeiro, 2003.

FIGUEIREDO, D. H; FIGUEIREDO, D. H; GONÇALVES, H. R; STANGANELLI, L. C. R; DOURADO, A. C. Características antropométricas e motoras em jogadores de futebol: diferenças entre categorias sub17, sub19 e profissional. Revista Brasileira de Ciências e Movimento, v. 27, n. 3, p. 13-24, 2019.

GERMANO, M. D; CRISP, A. H; SINDORF, M. A. G; CREATO, C. R; VERLENGIA, R; LOPES, C. R. Duas semanas de pré-temporada melhoram a velocidade e força máxima de membros inferiores em jogadores profissionais de futebol. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 26, n. 2, p. 18-23, 2018.

LEAL JÚNIOR, E. C; SOUZA, F. B; MAGINI, M; LOPES MARTINS, R. A. B. Estudo comparativo do consumo de oxigênio e limiar anaeróbio em um teste de esforço progressivo entre atletas profissionais de futebol e futsal. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 12, n. 6, p. 323-326, 2006.

LIZANA, C. J. R; BELOZO, F; LOURENÇO, T; MACEDO, D. V; SHOITIMISUTA, M; SCAGLIA, A. Análise da potência aeróbia de futebolistas por meio de teste de campo e teste laboratorial. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 20, n. 6, p. 447-450, 2014.

MAHSEREDJIAN, F; BARROS DE NETO, T. L; TEBEXRENI, A. S. Estudo comparativo de métodos para a predição do consumo máximo de oxigênio e limiar anaeróbio em atletas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 5, n. 5, p. 167-172, 1999.

MANACEIA, B. A. M; SILVA, L. S; SILVA, J. B; CASTRO, J. B. P; SOUZA VALE, R. G; NUNES, R. A. M; LIMA, V. P. Comparação do VO2 máx e potência anaeróbica de atletas de futebol de base em diferentes posições e categorias. Revista Brasileira de Futebol, v. 10, n. 2, p. 35-46, 2017.

MARKOVIC, G. MIKILIC, P. Discriminative ability of the Yo-yo intermitente recovery test (level 1) in prospective Young soccer players. Journal Strength Conditioning Research, v. 25, n. 10, p. 2931-2934, 2011.

METAXAS, T. I; KOUTLIANOS, N. A; KOUIDI, E. J; DELIGIANNIS, A. P. Comparative study of field and laboratory tests for the evaluation of aerobic capacity in soccer players. Journal Strength Conditioning Research, v. 19, n. 1, p. 79-84, 2005.

MORAES, J. R; PIRES, F. O. G; ROBERT-PIRES, C. M; MAGOSSO, R. F. Consumo máximo de oxigênio de jogadores de futebol da categoria sub-20 durante o período da pré-temporada. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 10, n. 37, p. 209-214, 2018.

NUNES, L. E; ROBERT-PIRES, C. M; ASSIS, M; BALDISSERA, V. Yo-yo Intermitent Recovery Test (Yo-yo Test): valores normativos para jogadores de futebol das categorias sub-13, sub-15, sub-17 e sub-20. Revista Brasileira de Futebol, v. 14, n. 1, p. 20-34, 2021.

POLITANO, H; SILVA, A. P. S; POLITANO, F. N; DOMINGOS, M. R; PELLEGRINOTTI, I. L; ALMEIDA, M. V. A. O; CARVALHO, A. F; GUEDES, U. I. S; VIOLA, J. C; PASSOS, R. P; VILELA JÚNIOR, G. B; PEREIRA, A. A. Perfil dermatoglífico e potência aeróbia em praticantes de handebol. Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida – CPAQV, v. 12, n. 2, p. 1-8, 2020.

RAIDER, L; ALVES, C. V. N; PANTALEÃO, D; DAMASCENO, V. O; JÚNIOR, D. A. F. Potência aeróbia em diferentes estágios de maturação de jovens jogadores de futebol da categoria infantil e juvenil. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, v. 14, n. 4, p. 188-193, 2015.

REIS, D. F; SANTOS JÚNIOR, M. L; ROTTA, P. H. B; MARCELO, H. I; ALEIXO, P. H; SANTOS, L. S; MENDES, E. M; SADA FILHO, M. A; GARCIA, T. A; OZAKI, G. A. T; ZANUTO, E. A. C; COSTOLDI, R. C; CAMARGO, R. C. T; CAMARGO FILHO, J. C. S. Análise do consumo máximo de oxigênio e da composição corporal em atletas de futebol da categoria sub-20. Colloquium Vitae, v. 10, n. 5, p. 112-118, 2018.

ROCHA, A. C; GUEDES JÚNIOR, D. P. Avaliação física para treinamento personalizado, academias e esportes: uma abordagem didática, prática e atual. 1ªed. Phorte: São Paulo, 2013.

SCHAURICH, M; GLANZEL, M. H; ROCHA, G. G; NEPOMUCENO, P; SCHIMIDT, L. M; POHL, H. H; RECKZIEGEL, M. B. Utilização de protocolos diretos e indiretos na avaliação do consumo máximo de oxigênio. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 12, n. 78, p. 879-884, 2018.

SILVA, J. F; DITTRICH, N; GUGLIELMO, L. G. A. Avaliação aeróbia no futebol. Revista Brasileira de Cineantropom Desempenho Humano, v. 13, n. 5, p. 384-391, 2011.

SILVA, J. F; GUGLIELMO, L. G. A; FLORIANO, L. T; ARINS, F. B; DITTRICH, N. Aptidão aeróbia e capacidade de sprints repetidos no futebol: comparação entre as posições. Motriz, v. 15, n. 4, p. 861-870, 2009.

SOUZA, J.; ZUCAS, S. M. Alterações da resistência aeróbia em jovens futebolistas em um período de 15 semanas de treinamento. Revista da Educação Física, UEM, v. 14, n. 1, p. 31-36, 2003.

SOUZA, R. B; PRAÇA, G. M; GRECO, P. J. Avaliação de jogadores de futebol: relação entre a capacidade aeróbia e eficácia tática. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 9, n. 33, p. 190-196, 2017.

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.