EXPRESSÃO SÉRICA DE PROTEÍNA C-REATIVA EM PORTADORES DE DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA NO USO DO PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PULMONAR

Ingrid Ferreira Santos, Shaumin Vasconcelos Wu, Lorena Vidal Almeida Reis, Amanda Caroline Lobato Dias, Elivelton da Costa Fonseca, Rayana Carvalho Barros, Luiz Fábio Magno Falcão, Valéria Marques Ferreira Normando

Resumo


Objetivos: Analisar a expressão sérica de proteína c-reativa (PCR) de indivíduos portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica nas fases pré e pós programa de reabilitação pulmonar (PRP). Métodos: Ensaio clínico analítico, longitudinal, prospectivo e quantitativo, de escala local, em que participaram 6 voluntários de ambos os gêneros, com diagnóstico clínico de DPOC de grau moderado da doença. Foi proposto o Programa de Reabilitação Pulmonar (PRP), executado três vezes por semana durante 7 semanas, totalizando 20 sessões, e realizada a avaliação da Proteína C-Reativa, por meio do Método de Imunoaglutinação para a determinação qualitativa da proteína, sendo que a coleta de sangue para essa análise foi feita antes do primeiro dia, no décimo quinto e após o vigésimo dia do PRP. Na análise dos dados, os testes DÁgostinho e de McNemar foram aplicados, adotando-se o nível de significância de p≤0,05, com utilização do software BioEstat 5.0. Resultados: Dentre os 6 voluntários, a disposição entre o sexo feminino e masculino foi igual, com média de idade de 64,5±9,07. Com relação aos dados da expressão sérica da PCR, não houve diferença estatística quando comparada no primeiro e último dia do programa de reabilitação pulmonar, visto que apenas 1 participante apresentou níveis séricos elevados, tanto antes quanto depois do PRP. Conclusão: Os achados deste estudo não foram definitivos, porém este marcador inflamatório constitui um elemento importante nas doenças inflamatórias e os dados obtidos podem criar perspectivas para estudos futuros, como ferramentas úteis de avaliação e manejo terapêutico dos pacientes com DPOC.


Palavras-chave


Exercícios Respiratórios, Doença pulmonar obstrutiva crônica, Proteína C-Reativa, Coleta de Amostras de Sangue, Reabilitação.

Referências


REFERÊNCIAS

Costa RNS, Maia LP, Ribeiro GF. Avaliação da Proteína C-Reativa e Fibrinogênio nos Estágios Avançados da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Iniciação Científica Cesumar, 2016; 18(1): 31-38.

Freitas ALM, Chaves J, Fernandes R, Krummenauer ML, Tomilin BA, Ourique F, et al. Prevalência do Diagnóstico de DPOC em Pacientes internados com Cardiopatia Isquêmica em um Hospital Universitário no interior do Estado do Rio Grande do Sul. Rev Epidemiol Controle Infecç. 2017; 7(1): 1-12.

Torres-sánchez I, Valenza MC, Iranzo MDÀC, Lopez-Lopez L, Moreno-Ramírez MP, Ortíz-Rubio A. Effects of different physical therapy programs on perceived health status in acute exacerbation of chronic obstructive pulmonary disease patients: a randomized clinical trial. Disabil Rehabil [Internet]. 2018; 40(17): 2025-2031.

Lim SY, Zhao D, Guallar E, Chang Y, Ryu S, Cho J, et al. Risk of chronic obstructive pulmonary disease in healthy individuals with high C-reactive protein levels by smoking status: a population-based cohort study in Korea. 

Int. J Chronic Obstr Pulm Dis. 2019; 14: 2037.

Silva AR, Saturnino E, Capelin GJM, Magalhães GCB, Oliveira HC, Alcântara IC, et al. Diretriz para manejo de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC e protocolo de uso de umeclidínio do Estado de Mato Grosso. Cuiabá: Comissão Permanente de Farmácia Terapêutica – CPFT; 2019.

Leal LF. Epidemiologia e uso de medicamentos para doenças respiratórias crônicas no Brasil [tese]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2019.

Lin FL, Yeh ML, Lai YH, Lin KC, Yu CJ, Chang JS. Two‐month breathing‐based walking improves anxiety, depression, dyspnoea and quality of life in chronic obstructive pulmonary disease: A randomised controlled study. 

J Clin Nurs [Internet]. 2019; 28 (19-20): 3632-3640.

Gonçalves RS. Preditores de prognóstico em doentes com internamento por exacerbação aguda da DPOC [dissertação]. Covilhã: Universidade da Beira Interior; 2018.

Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD). Global Strategy for the diagnosis, management, and prevention of Chronic Obstructive Pulmonary Disease (2019 report)

Módena JC, Moraes FC, Oliveira LHS. Reabilitação pulmonar e eletroestimulação muscular em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e sua influência no sono. Revista Cippus – Unisalle Canoas [Internet]. 2017; 5(2): 1-9.

Amaral TCN. Correlação entre função muscular, funcionalidade e o perfil inflamatório de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) [dissertação]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2019.

Barretto JM, Loures FB, Pires RS, Bezerra FN, Faro RV, Cavanellas NT. Avaliação dos níveis séricos da proteína C‐reativa após artroplastia total do joelho. Rev Bras Ortop (Rio de Janeiro). 2017; 52(2): 176-181.

Aksoy F, Uysal D, Ibrisim E. Predictive values of C-reactive protein/albumin ratio in new-onset atrial fibrillation after coronary artery bypass grafting. Rev. Assoc Med Bras. 2020; 66(8): 1049-1056.

Leal LF, Cousin E, Bidinotto AB, Sganzerla D, Borges RB, Malta DC, et al. Epidemiology and burden of chronic respiratory diseases in Brazil from 1990 to 2017: analysis for Global Burden of Disease 2017 Study. Rev Bras Epidemiol. 2020; 23: E200031.

Leuzzi G, Galeone C, Taverna F, Suatoni P, Morelli D, Pastorino U. C-reative protein level predicts mortality in COPD: a systematic review and meta-anlysis. Eur Respir Rev. 2017; 26: 160070.

Paolucci EM, Loukov D, Bowdish DME, Heisz JJ. Exercise reduces depression and inflammation but intensity matters. Bio Psycho. 2018; 133: 79-84.

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.