OS EFEITOS DO PILATES NA QUALIDADE DE VIDA DE INDIVÍDUOS COM LOMBALGIA CRÔNICA: ARTIGO DE REVISÃO

Eliane Perusso Vandresen, Bruno de Souza Vespasiano, Fernanda Viriato Botelho Giufrida

Resumo


Introdução: A lombalgia pode ser caracterizada por um distúrbio doloroso na região lombar. Visto o aumento de casos, observa-se a necessidade de promover atividades físicas a fim de reduzir os efeitos causados pela dor lombar. O Pilates pode ser uma opção para a prevenção e tratamento de pessoas com lombalgia, promovendo melhor qualidade de vida. Objetivo: Analisar os efeitos do método Pilates na qualidade de vida em pacientes com lombalgia crônica. Método: Foi realizada uma revisão de literatura com buscas nas seguintes bases de dados Scielo, Medline, Lilacs, Google acadêmico e Scientific Reports com restrição de idioma em português/inglês do período compreendido entre 2015 a 2019.  Após aplicação de critérios de inclusão e exclusão foram selecionados 24 artigos que compuseram a revisão. Resultados: O método Pilates pode ser uma estratégia que proporcione melhor qualidade de vida em pacientes portadores de lombalgia crônica. Conclusão: Sugere-se que o método Pilates pode diminuir a dor lombar, melhorar a autonomia funcional, aumentar a força e melhorar a qualidade de vida fatores esses, determinantes na prevenção e tratamento em pacientes com lombalgia crônica. 


Palavras-chave


Pilates, Dor lombar, Exercício físico.

Referências


Dutra AM, Cardoso AM. Método mat pilates no tratamento do quadro álgico na lombalgia crônica: estudo observacional. Revista Científica Escola Estadual Saúde Pública Cândido Santiago RESAP.2018; 4(1):15-24.

Assunção DC. Aplicação do método pilates em paciente com lombalgia postural: Estudo de caso. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Fisioterapia) - Faculdade Tecsoma, Paracatu, MG, 2018.

Silva PH, Silva DF, Oliveira JK, Oliveira FB. The effect of the Pilates method on the treatment of chronic low back pain: a clinical, randomized, controlled study. Br J Pain.2018; 1(1):21-18.

Ribeiro IA, Oliveira TD, Blois CR. Effects of Pilates and Classical Kinesiotherapy on chronic low back pain: a case study. Fisioterapia e Movimento. 2015; 28(4):759-65.

Camarão TC. Pilates com bola no Brasil: corpo definido e bem estar. Rio de Janeiro: Elsevier; 2005.

Wells C, Kolt G, Bialocerkowsk A. Defining Pilates exercise: A systematic review. Complementary Therapies in Medicine. 2012; 4(1):253-262.

Ferreira AC, Fernandes JA, Laranjo L, Bernardo LM, Silva A. A systematic review of the effects of Pilates Method of exercise in healthy people. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation. 2011; 92:2071-2081.

Massey, P. How to prevent and overcome sports injuries. Sport Pilates London: Cico Books; 2011.

Ferreira, C. B.; Aidar, F.J.; Novaes, G.S. O método Pilates sobre a resistência muscular localizada em mulheres adultas. Motricidade. 2007; 3(4):76-81.

Sacco ICN, Andrade MS, Souza PS, Nisiyama M, Cantuária AL, Maeda FYI, Pikel M. Método Pilates em revista: aspectos biomecânicos de movimentos específicos para reestruturação postural – Estudos de caso. Revista Brasileira Ciência e Movimento.2005;13(4): 65-78

Blum CL. Chiropractic and Pilates therapy for the treatment of adult scoliosis. J Manipulative Physiol Ther.2002; 25(4):E3.

Muscolino JE, Cipriani S. Pilates and the ‘‘powerhouse’’. Journal of Bodywork and Movement Therapies. 2004; 15-24.

Segal NA, Hein J, Basford JR. The effects of Pilates training on flexibility and body composition: an observational study. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation. 2004; 85(12):1977-81.

Anderson B, Spector A. Introduction to Pilates-based rehabilitation. Orthopaedic Physical Therapy Clinics of North America. 2000;9(3):395-402.

Bertolla F, Baroni BM, Leal J, Pinto CE, Oltramari JD. Efeito de um programa de treinamento utilizando o método Pilates® na flexibilidade de atletas juvenis de futsal. Revista Brasileira Medicina e Esporte.2007;13(4)222-226.

Kolyniak IEG, Cavalcanti SMB, Aoki MS. Avaliação isocinética da musculatura envolvida na flexão e extensão do tronco: efeito do método Pilates. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 2004.

Aparicio E, Pérez J. O autêntico método Pilates: a arte do controle. São Paulo: Editora Planeta Brasil; 2005.

Dantas AID, Pontes SS, Alves IGN, Almeida LO, Almeida KO, Carvalho ALR. Efeito do método pilates em mulheres com lombalgia: estudo de casos. Revista Intercâmbio.2018; 11: 088.

Bhadauria EA, Gurudut P. Comparative effectiveness of lumbar stabilization, dynamic strengthening, and Pilates on chronic low back pain: randomized clinical trial. Journal of Exercise Rehabilitation. 2017; 13(4): 477-485.

-Bianchi AB, Antunes MD, Paes BJS, Brunetti RC, Morales RC, Wittig DS, Bertolini SMMG. Estudo comparativo entre os métodos Pilates no solo e Water Pilates na qualidade de vida e dor de pacientes com lombalgia. Cinergis. 2016; 17(4).

Shedden M, Kravitz L. Pilates exercise. A research-based review. Journal of Dance Medicine& Science.2006;10(3-4):111-6.

Patti A, Bianco A, Paoli A, Messina G, Montalto MA, Bellafiore M, Bettaglia G, Iovane A, Palma A. Pain Perception and Stabilometric Parameters in People With Chronic Low Back Pain After a Pilates Exercise Program. Medicine. 2016; 95(2).

Nolasco J, Martins L, Berquo M, Sandoval RA. Atuação da cinesioterapia no fortalecimento muscular do assoalho pélvico feminino: revisão bibliográfica. Fisio & Terapia. 2007.

Machado CANR. Efeitos de uma abordagem fisioterapêutica baseada no método Pilates, para pacientes com diagnóstico de lombalgia, durante a gestação. Fisioterapia Brasil. 2006; 1518-9740.

Nahas MV, Garcia LMT. Um pouco de história, desenvolvimentos recentes e perspectivas para a pesquisa em Atividade Física e Saúde no Brasil. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte.2010; (24):135-148.

Altman DG, Moher D, Liberati A, Tetzlaff J. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: The PRISMA Statement. Journal of the America Physical Therapy Associaton. 2009; (89):873-880.

Vespasiano BS, Oliveira JR, Penteado RZ, Cesar MC. O professor de Educação Física no Sistema único de Saúde: sua prática e resultados: estudo de revisão. Saúde Revista.2017; 17(46)78- 98

Giufrida FVB, Cruz TMF, Rosa FO, Vespasiano BS. Efeitos do método pilates na prevenção de lesões musculoesqueléticas em atletas de diferentes modalidades: artigo de revisão. Revista CPAQV – Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida. Vol 12 (2): 1-9p.2020.

Corrêa CPS, Guedes IO, Vieira MT, Muniz MNM. Método Pilates versus Escola de Postura: Análise comparativa de dois protocolos de tratamento para lombalgias. HU Revista. Juiz de Fora; 41(1 e 2):85-91.

Machado PM. Eficácia de um programa de pilates para indivíduos com dor lombar não específica. 2016. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso II) - Universidade Federal de Santa Catarina, Araranguá, 2016.

Souza BM; Justo LP, Silva DO, Lazzareschi L, Glória IPS. Influência do método pilates no tratamento da dor lombar crônica inespecífica: ensaio clínico controlado, aleatorizado e cego. Revista Científica UMC. Edição Especial PIBIC, outubro, ISSN. 2019; 2525-5250.

Storch J, Sampaio PL, Ferrecioli AMJ, FIigueiredo MR, Oliveira LA. O método pilates associado a orientações de estilo de vida em pacientes com lombalgia crônica. LifeStyle Journal. 2015; 2 (2) 53-66.

Bertoldi JT, Winter AR, Fialho SP. Efeitos do Método Pilates na mobilidade da coluna vertebral e na qualidade de vida de idosos: estudo de caso. Cinergis. 2016; 17 (1).

Queiroz LCS. Força abdominal e aumento da massa muscular em idosas praticantes de pilates solo. 2016. Dissertação (mestrado em Promoção da Saúde) - Centro Universitário de Maringá - UniCesumar,2016.

Castanhetti NM, Sudré ML, Fan LG. Efeitos do mat pilates em pacientes com dor lombar devido a discopatia degenerativa: relatos de casos.

Revista Inova Saúde, Criciúma. 2016; 5(1).

Machado MP, Alves MC, Hendler KG, Benetti VB, Souza NRJ, Barbosa RI, Marcolino AM, Kuriki HU. Effectiveness of the Pilates method for individuals with nonspecific low back pain: clinical and electromyographic aspects. Motriz, Rio Claro. 2017; 23(4).

Hendler KG, Benetti VB. Influência de um programa de pilates em indivíduos com dor lombar não específica. 2017. Artigo (Requisito parcial da disciplina de TCC II) - Universidade Federal de Santa Catarina, Araranguá 2017.

Llewellyn, H.; Konstantaki, M.; Johnson, M.; Francis, P. The effect of a Pilates exercise programme on perceived functional disability and pain associated with non-specific chronic low back pain. MOJ Yoga Physical Ther.2017; 2 (1) 2529.

Trindade APNT, Borges RCCO, Bittar CML. Impacto de um programa de tratamento em pacientes com alterações na coluna. Rev Bras Promoç Saúde. 2018; 31 (4).

Tozim BM. Efeito do método pilates nos parâmetros de desempenho neuromuscular em idosos com dor lombar. 2018. Tese (Doutorado em desenvolvimento Humano e Tecnologias) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2018.

Alves MC. Efeitos de um protocolo de pilates em indivíduos com dor lombar não específica e saudáveis: análise clínica e eletromiográfica. 2018 Dissertação (Mestrado em Ciências da Reabilitação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Araranguá 2018.

Junqueira C Moreira SS, Ferreira J, Mitre NCD, Lage TS, Chaves CMCM. Efeito do método pilates solo e do relaxamento de jacobson na dor lombar crônica. Conexão Ci, Formiga. 2018; 13 (3) 34-45.

Tavares JMA. Efeitos de dois programas de exercício físico sobre o controle postural e a dor lombar em policiais militares: pilates x exercícios isométricos. 2019. Projeto (Ciências do Movimento Humano, Atividade Física e Saúde) - Programa de Pós-graduação em Educação Física, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Curitiba, 2019.

Oliveira NTB, Ricci NA, Franco YRS, Salvador EMES, Almeida ICB, Cabral CMN. Effectiveness of the Pilates method versus aerobic exercises in the treatment of older adults with chronic low back pain: a randomized controlled trial protocol. BMC Musculoskeletal Disorders. 2019; 20 (250)2-7.

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.