USO DA METODOLOGIA PROBLEM-BASED LEARNING PELAS DIFERENTES ÁREAS DO CONHECIMENTO NO BRASIL: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Everton Silveira Ribeiro, Valesca Brasil Irala

Resumo


O Ensino Superior tem se direcionado, cada vez mais, para a formação de sujeitos ativos na sociedade, por meio de um conjunto de novas propostas metodológicas que têm sido disseminadas em diferentes instituições. A metodologia Problem-Based Learning é um método pelo qual o docente utiliza uma situação-problema, propondo aos alunos vários caminhos potenciais para a solução, envolvendo-os num processo ativo de aprendizagem. Frente a isso, buscou-se responder a pergunta “em quais áreas do conhecimento têm sido produzidas pesquisas sobre o ensino via Problem-Based Learning voltados à Educação Superior no Brasil em um período de cinco anos?”. Para tal, realizou-se uma revisão integrativa, na qual foram selecionados artigos completos publicados nos idiomas português, inglês e espanhol, disponíveis na íntegra, condizentes à temática, indexados nos bancos de dados pré-determinados. Como principais resultados foram encontrados 47 trabalhos publicados no referido período; porém, ao considerar os critérios de exclusão, permaneceram 21, de acordo com o tema delimitado. Identificou-se uma prevalência de publicações na área da saúde; no entanto, em todas as outras áreas do conhecimento nesta revisão citados, a Problem-Based Learning mostrou-se como uma ferramenta para potencializar a aprendizagem discente. Assim sendo, esta revisão, mesmo não tendo como principal objetivo, oferece um vislumbre às diversas áreas do conhecimento em que não há, pelo menos neste intervalo de cinco anos, produção de algum tipo de pesquisa sobre aprendizagem via Problem-Based Learning, enfatizando a relevância da metodologia em pauta.


Palavras-chave


Problem-based learning; Aprendizagem ativa; Ensino superior; Indicadores de Produção Científica; Aprendizagem colaborativa

Referências


CAPES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal et al. Publicado: Terça, 01 Abril 2014 17:54, Última Atualização: Quarta, 21 Março 2018 [Internet]. 2018 [citado 2019 set 22] Disponível em: https://www.capes.gov.br/avaliacao/instrumentos-de-apoio/tabela-de-areas-do-conhecimento-avaliacao.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES Nº 3, de 7 de novembro de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 37, Brasília, 9 de novembro de 2001 [Internet] 2001 [citado 2019 set 22]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/atos-normativos--sumulas-pareceres-e-resolucoes?id=12816.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº4, de 19 de fevereiro de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Fisioterapia. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 11, Brasília, 4 de março de 2002 [Internet] 2002 [citado 2019 set 22]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/atos-normativos--sumulas-pareceres-e-resolucoes?id=12816.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução nº 3, de 20 de junho de 2014. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 8-11, Brasília, 23 de junho de 2014. [Internet] 2014 [citado 2019 set 22]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/atos-normativos--sumulas-pareceres-e-resolucoes?id=12816.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 6, de 19 de outubro de 2017. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Farmácia. Diário Oficial da União, Seção 1, p. 30, Brasília, 20 de outubro de 2017. [Internet] 2017 [citado 2019 set 22]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/atos-normativos--sumulas-pareceres-e-resolucoes?id=12816.

Moreira MA, Masini EAS. Aprendizagem significativa: a teoria de aprendizagem de David Ausubel. 2. ed. São Paulo: Centauro Editora; 2006.

Mitre, SM et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência e Saúde Coletiva, v. 13, p. 2133-2144, 2008.

Rozal EF, Souza ESR, Santos NT. Aprendizagem em matemática, aprendizagem significativa e neurociência na educação dialogando aproximações teóricas. Revista REAMEC. v. 5, n. 1, p. 143-163. 2017.

Araújo UF, Sastre G. Aprendizagem baseada em problemas no ensino superior. São Paulo: Summus, p. 163-187, 2009.

Berbel NAN. Metodologia da Problematização: Fundamentos e Aplicações. Londrina (Paraná) Editora da UEL/INEP, 1999.

Gijbels D et al. Effects of problem-based learning: A meta-analysis from the angle of assessment. Review of educational research, v. 75, n. 1, p. 27-61, 2005.

Leary H, Walker A, Shelton BE. Self-directed learning in problem-based learning: A meta-analysis. In: American Educational Research Association Conference. Vancouver. Canadá, [Internet] 2012 [citado 2019 out 02]. Disponível em: http://works.bepress.com/heatherleary/47.

Joanna BI et al. Joanna Briggs Institute reviewers’ manual: 2014 edition. Australia: The Joanna Briggs Institute, [Internet] 2014 [citado 2019 set 10]. Disponível em: http://joannabriggs.org/assets/docs/sumari/reviewersmanual-2014.pdf

Barrows HS. Problem-based learning in medicine and beyond. In: Wilkerson L, Gijselaers WH (orgs.). Bringing problem-based learning to higher education. JosseyBass Publishers, 1996, p.3-12. doi: 10.1002/tl.37219966804

Gomes R et al. Aprendizagem Baseada em Problemas na formação médica e o currículo tradicional de Medicina: uma revisão bibliográfica. Revista brasileira de educação médica, v. 33, n. 3, p. 433-440, 2009.

Barros KBNT, Santos SLF, Lima GP. Perspectivas da formação no Ensino Superior transformada através de Metodologias Ativas: Uma revisão narrativa da literatura. Conhecimento Online [Internet] 2017 [citado 2020 ago 10] Novo Hamburgo. ano. 9, v. 1, jan.jun, p.65-76, 2017. Disponível em: https://scholar.google.com/scholar_url?url=https://periodicos.feevale.br/seer/index.php/revistaconhecimentoonline/article/download/472/1855&hl=pt-BR&sa=T&oi=gsb-gga&ct=res&cd=0&d=12684805866762260078&ei=XXIhX6PwH7GUy9YPlYys6A4&scisig=AAGBfm0iwI9uqt8N5xEK4b_vLOWOS-5jQA.

Guedes-Granzotti RB et al. Situação-problema como disparador do processo de ensino-aprendizagem em metodologias ativas de ensino. Rev. CEFAC, [Internet]. 2015 [citado 2020 ago 10] São Paulo , v. 17, n. 6, p. 2081-2087, Dec. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-18462015000802081&lng=en&nrm=iso. http://dx.doi.org/10.1590/1982-021620151768015.

Colares KTP, Oliveira W. Metodologias Ativas na formação profissional em saúde: uma revisão. Revista Sustinere, v. 6, n. 2, p. 300-320,jan. 2019. ISSN 2359-0424.

Godinho PA et al. A aprendizagem baseada em problemas (ABP) como metodologia de ensino na disciplina de embriologia na visão do aluno. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 39, n. 3, p. 327-332, 2017.

Mello CCB, Alves RO, Lemos SMA. Metodologias de ensino e formação na área da saúde: revisão de literatura. Revista CEFAC [Internet] 2014 [citado 2019 set 22 v. 16, n. 6, p. 2015-2028, 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1693/169339740031.pdf.

Simon E et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem e educação popular: encontros e desencontros no contexto da formação dos profissionais de saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 18, p. 1355-1364, 2014.

Lima VV et al. Ativadores de processos de mudança: uma proposta orientada à transformação das práticas educacionais e da formação de profissionais de saúde. Ciência e Saúde Coletiva, v. 20, n. 1, p. 279-288, 2015.

Pessoa TRRF, Noro LRA. Caminhos para a avaliação da formação em Odontologia: construção de modelo lógico e validação de critérios. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro v. 20, p. 2277-2290, 2015.

Cardoso MLM et al. A Política Nacional de Educação Permanente em Saúde nas Escolas de Saúde Pública: reflexões a partir da prática. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 5, p. 1489-1500, maio 2017. https://doi.org/10.1590/1413-81232017225.33222016.

Albuquerque OMR et al. Uso de Tecnologia Social na constituição do Conselho Gestor de Unidade de Saúde. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, n. 28, p. 41-56, 2018.

Dornelas R et al. Metodologias ativas: Uma experiência na Fonoaudiologia. Distúrbios da Comunicação v. 26, n. 4, p. 815-821, dezembro, 2014.

Fujita JALM et al. Uso da metodologia da problematização com o Arco de Maguerez no ensino sobre brinquedo terapêutico. Revista Portuguesa de Educação, v. 29, n. 1, p. 229-258, 2016.

Brasil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União [Internet] 1996 [citado 2019 set 22], v. 134, n. 248, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

PELEIAS, Ivan Ricardo. Didática do Ensino da Contabilidade. São Paulo: Saraiva, 2006.

Martins DB, Espejo MMSB, Frezatti F. Avaliação de habilidades e de atitudes em abordagem de problem based learning no ensino de controle gerencial. In: Anais do VIII Congresso da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. [Internet] 2015 [citado 2019 out 02]. Disponível em: http://anpcont.org.br/pdf/2014/EPC074.pdf.

Kounrouzan MC. O perfil do profissional contábil. [Internet] 2005 [citado 2019 set 22]. Disponível em: http://www.oswaldocruz.br/download/artigos/social17.pdf.

Silva CE. Estudo da aplicação do Problem Based Learning (PBL) no ensino superior de contabilidade. 2015 [dissertação]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2015.

Guedes KL, Andrade ROB, Nicolini AM. A avaliação de estudantes e professores de administração sobre a experiência com a aprendizagem baseada em problemas. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 16, n. 1, p. 71-100, 2015

Urias GMPC, Azeredo LAS. Metodologias ativas nas aulas de administração financeira: alternativa ao método tradicional de ensino para o despertar da motivação intrínseca e o desenvolvimento da autonomia. Administração: Ensino e Pesquisa, v. 18, n. 1, p. 39, 2017.

Soares SV et al. Aprendizagem baseada em problemas para os cursos de ciências contábeis: Desafios e oportunidades de sua adoção. Contextus: Revista Contemporânea de economia e gestão, v. 17, n. 1, p. 65-97, 2019.

Moreira MA, OLIVEIRA NG. A Utilização da Aprendizagem Baseada em Problemas em Cursos de Graduação de Ciências Contábeis. Revista de Gestão e Contabilidade da UFPI [Internet] 2017 [citado 2019 set 23] v. 4, n. 2, p. 39-55, 2017. Disponível em: https://revistas.ufpi.br/index.php/gecont/article/view/5294/0.

Souza D V, Fonseca RF. Reflexões acerca da aprendizagem baseada em problemas na abordagem de noções de cálculo diferencial e integral. Educação Matemática Pesquisa: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, [Internet] 2017 [citado 2019 set 22] v. 19, n. 1, p. 197-221, 2017. Disponível em https://revistas.pucsp.br/emp/article/view/26575. doi: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2017v19i1p197-221.

Silva JF, Schimiguel J. Problem-based learning, Educação Estatística e Educação a Distância: um estudo teórico sobre possíveis convergências no ensino superior. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 7, n. 3, p. 32-52, 2016.

Darius RPP, Lopes BJS. O uso da metodologia da problematização para o desenvolvimento de projeto integrador no curso de pedagogia. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, [Internet] 2017 [citado 2019 set 23] p. 983-1004, mar. 2017. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/9809/6578. doi:https://doi.org/10.21723/riaee.v12.n2.9809.

Palhardi AL, Silveira IF. Uso dos ambientes colaborativos do Google no suporte a metodologia PBL (Problem-Based Learning) em Ensino Superior de Tecnologia. TICs e EaD em Foco [Internet] 2018 [citado 2019 set 22]. São Luis, v.4 n. especial, nov. 2018. Disponível em: http://www.uemanet.uema.br/revista/index.php/ticseadfoco/article/view/331/292

Loguercio R, Souza D, Del Pino JC. Mapeando a educação em bioquímica no Brasil. Ciências e Cognição [Internet] 2007 [citado 2019 out 02] v. 10, p. 147-155, 2007. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/626.

Borges AT. Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. 3, p. 291-313, 2002.

Silveira JT, Rocha JBT. Produção científica sobre estratégias didáticas utilizadas no ensino de Bioquímica: uma revisão sistemática. Revista de Ensino de Bioquímica [Internet] 2016 [citado 2019 set 23], v. 14, n. 3, p. 7-21, 2016. Disponível em: http://bioquimica.org.br/revista/ojs/index.php/REB/article/view/630. http://dx.doi.org/10.16923/reb.v14i3.630


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.