CAMINHADA ORIENTADA E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

Lucas Coelho Coelho Dos Santos, Daniele Godinho Ribeiro, Ruhena kelber Abrão

Resumo


O presente artigo tem como objetivo Investigar o nível de Qualidade de Vida dos Idosos que participam do projeto “Caminhada Orientada” perceber os benefícios da pratica da atividade física para a melhora da sua saúde. A partir deste objetivo propomos uma reflexão sobre os caminhos percorridos pela Educação Física e sua relação com a saúde. Como metodologia utilizamos a aplicação de questionário WHOQOL-BREF. Por fim, concluímos que as atividades físicas tem uma grande importância na vida dos idosos, a partir disso conseguimos refletir como o Profissional de Educação Física pode ter um papel importante nesse respectivo grupo.


Palavras-chave


Caminhada; idosos; qualidade de vida.

Referências


BALTES, Paul B; SMITH, Jacqui. Novas Fronteiras para o Futuro do Envelhecimento: da Velhice bem Sucedida do idoso Jovem aos Dilemas da Quarta Idade. A Terceira Idade, São Paulo, v.17, n.36, p.7-31, jun. 2006.

BRASIL. Lei Complementar nº 8.842 de quatro de janeiro de 1994. Política Nacional do Idoso.

CARVALHO Chaves, et.al. Prática e Saberes dos cuidados de idosos com Alzheimer: a invisibilidade do enfermeiro. Revista Uniabeu. Rio de Janeiro. V.12, n.30, p. 400-421, 2019.

Estatuto do idoso: lei complementar federal nº 10.741, de 01 de outubro de 2003. Brasília, DF: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2004.

Carvalho, Eva Ferreira de. Gerontologia Social. Texto complementar - aula 2. 5º período. UNITINS. Educação a distância. 15/03/2010.

DAWALIBI, Nathaly Wehbe et al. Envelhecimento e qualidade de vida: análise da produção científica da SciELO. Estudos de Psicologia, v. 30, n. 3, p. 393-403, 2013.

FLECK MP, Leal OF, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, et al. Desenvolvimento da versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da OMS (WHOQOL-100). Rev Bras Psiquiatr. 1999;21(1):19-28.

FECHINE, Basílio Rommel Almeida; TROMPIERI, Nicolino. O processo de envelhecimento: as principais alterações que acontecem com o idoso com o passar dos anos. InterSciencePlace, v. 1, n. 20, 2015.

GUEDES, D. P. Exercício físico na promoção da saúde. Londrina: Midiograf, 1995.

IBGE–Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2009). Comunicado Social de 1º

de dezembro de 2009. Participação dos idosos na população será quase igual à dos jovens em 2030. Recuperado em 1º dezembro, 2011, de http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1507&id_pagina Acesso em 09 de Agosto de 2018.

IBGE–Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Diretoria de Pesquisas.Departamento de População, Anuário estatístico do Brasil. Censo Demográfico 2010.

Recuperado em 1º dezembro, 2011, de http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1272&id_pagina Acesso em 09 de Agosto de 2018.

IV Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial, volume 82, (suplemento IV), 2004.

LIMA, Duarte Ferrari de. Caminhada – teoria e prática. Rio de Janeiro: Sprint, 2008.

MATSUDO, Victor K. R. Vida ativa para o novo milênio. Revista Oxidologia set/out: 18-24, 1999. Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul. Data da Publicação: 05/06/2002.

MAZO, Giovana Zarpellan. Atividade física e o idoso: concepção gerontológica. Porto Alegre: Sulina, 2004.

MILÃO, Luzia Fernandes; LOPES, Paulo Tadeu Campos; MARTINS, Isabel Amaral; PEREIRA, Érico Felden. TEIXEIRA, Clarissa Stefani. SANTOS, Anderlei. Qualidadede vida: abordagens, conceitos e avaliação. v.26, n.2. São Paulo: Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 2012.

ROCHA, Anneliese Schonhorst. Prevalência de Hipertensão Arterial em um Grupo de Idosos Praticantes de Atividade Física. IN; Estudos Multidisciplinares do Envelhecimento Humano, TEIXEIRA, Adriane Ribeiro, BECKER, Júnior Benno, FREITAS, Cíntia de L Rocha. Porto Alegre: Nova Prova, 2008.

OLIVEIRA, S.L. (2004). Tratado de Metodologia Científica: Projetos de Pesquisas, TGI, Organização Mundial da Saúde (OMS) (2005). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde.

SALGADO, Marcelo Antônio. Os Grupos e a ação pedagógica do trabalho social com idosos. Políticas públicas para a habitação do idoso. A Terceira Idade, v. 39, São Paulo, 2007. _____. Envelhecimento: um desafio para a sociedade. A terceira idade. São Paulo: SESC, 1988.

SANTANA PEREIRA, Déborah; DEVIDÉ NOGUEIRA, Júlia Aparecida; DA SILVA, Carlos Antonio Bruno. Qualidade de vida e situação de saúde de idosos: um estudo de base populacional no sertão central do Ceará. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 18, n. 4, 2015. Disponível em: http://ribeiro8112.blogspot.com/2014/11/o-idoso-na-historia-do-direito.html. Acesso em 09 de Agosto de 2018.

SCHNEIDER, Sérgio. FREITAS, Tanise Dias. Qualidade de Vida, Diversificação e desenvolvimento: referências práticas para análise do bem-estar no meio rural. v.02, n.01. Olhares Sociais, 2013.

HALLAL, P. C. et al. Evolução da pesquisa epidemiológica em atividade física no Brasil: revisão sistemática. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 41, n. 3, p. 453-460, 2007. [ Links ]

HALLAL, P. C. et al. Nível de atividade física em adultos de duas áreas do Brasil: semelhanças e diferenças. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, p. 573-580, 2005. [ Links ]

VAGETTI, G. C.; MOREIRA, N. B.; BARBOSA FILHO, V. C.; OLIVEIRA, V.; CANCIAN, C. F.; MAZZARDO, O.; CAMPOS, W. Domínios da qualidade de vida associados à percepção de saúde: um estudo com idosas de um programa de atividade física em bairros de baixa renda de Curitiba, Paraná, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 12, p. 3483-3493, 2013.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.