OS EFEITOS DA CORRENTE RUSSA E DO EXERCÍCIO TERAPÊUTICO NO MÚSCULO RETO ABDOMINAL EM MULHERES SEDENTÁRIAS

Tereza Cristina dos Reis Ferreira, Júlio César Veiga Pena, Anne Beatriz Duarte da Conceição, Paula Thayna Soares Lima, Paulo Vitor de Souza Sassim, Keitty Anne Silva Neves

Resumo


O sedentarismo atualmente aparece como fator de risco para mortalidade, e a atividade física regular é reconhecida pelos seus efeitos salutares nos seus praticantes. É possível relacioná-la, além do fortalecimento muscular proveniente desta prática, a alterações positivas para combater ou prevenir o aparecimento de diversas patologias. No escopo do fisioterapeuta existem várias técnicas que podem ser utilizadas para o fortalecimento muscular. O Exercício Terapêutico (ET) é considerado um elemento central na maioria dos planos de assistência da fisioterapia, complementado por outras intervenções, com a finalidade de aprimorar a função e reduzir incapacidades, já a eletroestimulação é utilizada na reeducação muscular, redução de espasmos, retardo na hipotrofia e fortalecimento de músculos. Uma das formas de fortalecimento do músculo reto abdominal são os chamados exercícios abdominais que apresentam diversas formas de execução. Outra maneira de aumentar a força muscular desta região é por meio da Corrente Russa (CR) que deflagra por meio da estimulação elétrica uma contração muscular. No presente estudo a metodologia utilizada consistiu na avaliação da força inicial através do Eletromiógrafo de Superfície (EMS) e fotodocumentação, aplicação dos protocolos, cada um composto por vinte sessões sendo um de ET e outro de ET associado a CR e por fim a reavaliação com o EMS, fotodocumentação e questionário de satisfação pessoal. O objetivo geral deste estudo visou verificar os efeitos da corrente russa e do exercício terapêutico no músculo reto abdominal em mulheres sedentárias. A amostra foi composta por oito participantes, sendo estas divididas em dois grupos (Grupo A e B), sendo cinco no primeiro grupo e três no segundo. O resultado final da EMS constatou que o protocolo ET exclusivo ou associado à CR altera a média a média da curva eletromiográfica RMS, porém não houve diferença de efeito entre os protocolos. Desta forma, conclui-se que ambos os protocolos são eficazes para o fortalecimento muscular, sendo de extrema importância na prática fisioterapêutica.


Palavras-chave


Terapia por Estimulação Elétrica, Terapia por Exercício, Comportamento Sedentário, Fisioterapia

Referências


- Brandão MP, Pimentel FL, Cardoso MF. Impact of academic exposure on health status of university students. Rev Saude Publica. 2011;45(1):49-58.

- Oliveira TCD, Silva AAMD, Santos CDJND, Silva JS, Conceição SIOD. Atividade física e sedentarismo em escolares da rede pública e privada de ensino em São Luís. Rev Saude Publica. 2010;44:996-1004.

- Warburton DE, Nicol CW, Bredin SS. Health benefits of physical activity: the evidence. CMAJ. 2006;174(6):801-809.

- Warburton DE, Nicol CW, Bredin SS. Prescribing exercise as preventive therapy. CMAJ. 2006;174(7):961-974.

- Kakeshita IS, Almeida SDS. Relação entre índice de massa corporal ea percepção da auto-imagem em universitários. Revi Saúde Pública. 2006;40(3):497-504.

- Lopes SC, Broungholi K. A utilização da corrente russa no tratamento da flacidez muscular abdominal [tese]. Tubarão: Universidade do Sul de Santa Catarina; 2004.

- Martins AD. Análise eletromiográfica do músculo reto abdominal pré e pós aplicação de um protocolo de corrente russa associada ou não a exercícios abdominais em mulheres sedentárias [tese]. Criciúma: Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina; 2009.

- Borges FS. Dermato-funcional: Modalidades Terapêuticas nas Disfunções Estéticas. 2ª ed. São Paulo: Phorte; 2010.

- Ward AR, Shkuratova N. Russian electrical stimulation: the early experiments. Phys Ther. 2002;82(10):1019-1030.

- Foss ML, Keteyian SCJ. Bases fisiológicas do exercício e do esporte. 6ª ed. São Paulo: Manole; 2000.

- Agne JE. Eu sei eletroterapia. 2ª ed. Santa Maria: Pallotti; 2009.

- Portney L. Eletromiografia e testes de velocidade de condução nervosa. In: O’sullivan SB, Schmitz TJ. Fisioterapia: avaliação e tratamento. 2ª Ed. São Paulo: Manole; 1993.

- Kisner C, Colby LA. Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. 5ª ed. Barueri: Manole; 2009

- Figueiredo PAP. Análise eletromiográfica de exercícios abdominais realizados por mulheres em meio líquido [tese]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2004

- Rodrigues APG. Caracterização do músculo esquelético de animais envelhecidos - Influência do sedentarismo ao longo da vida [tese]. Porto: Faculdade de Desporto da Universidade do Porto; 2010.

- Watson T. Eletroterapia: Prática baseada em evidência. 12ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

- Koeppen BM, Stanton BA. Berne & Levy - Fisiologia. 6ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

- Alves ACA, da Silva DD, Kelencz CA, de Carvalho RA. Análise eletromiográfica do músculo vasto medial após treino de força realizado por meio de cinesioterapia e estimulação elétrica. XI Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação. São José dos Campos: Universidade do Vale do Paraíba; 2007.

- Grillo DE, Simões AC. Atividade física convencional (musculação) e aparelho eletroestimulador: um estudo da contração muscular. Estimulação elétrica: mito ou verdade?. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. 2003;2(2).

- Santos NA, Nicolau RA, Pacheco MT. Efeito da terapia com estimulação russa em músculo reto abdominal observado através de ultrassonografia. IX Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e V Encontro Latino Americano de Pós-Graduação. São José dos Campos: Universidade do Vale do Paraíba; 2005.

- Borges FS, Valentin E. Tratamento da flacidez e diástase do reto abdominal no puerpério de parto normal com uso de eletroestimulação muscular com corrente de média frequência: estudo de caso. Rev. Bras Fisiot Dermato-Funcional. 2002;1(1).


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.