AVALIAÇÃO DA SOBRECARGA E AS DIFICULDADES ENCONTRADAS POR CUIDADORES DE PACIENTES EM CUIDADOS PALIATIVOS DE CÂNCER, BELÉM, PARÁ

Flávia Adrianne de Castro Grello, Adrielly Elane Sousa Maia, Katiane da Costa Cunha

Resumo


Objetivos: Avaliar a percepção do cuidado e das dificuldades encontradas pelos cuidadores de pacientes em cuidados paliativos exclusivos de câncer atendidos no Hospital Ophir Loyola (HOL) e traçar o perfil do cuidador com as dificuldades enfrentadas por ele no dia a dia do cuidado com o paciente oncológico. Métodos: Estudo transversal e descritivo do tipo quantitativo onde foram inclusos na pesquisa todos os cuidadores de pacientes oncológicos internados no HOL na clínica de Cuidados Paliativos Exclusivos. A coleta de dados foi realizada de Janeiro de 2018 a Abril de 2019. Houve a aplicação de dois instrumentos de coleta de dados: Questionário Sociodemográfico Do Principal Cuidador Do Paciente (elaborado pelas autoras) e a Escala de Sobrecarga do Cuidador de Zarit. Resultados: Participaram do estudo 25 cuidadores, predominantemente do sexo feminino e ocupação do lar. Sobre a relação entre o cuidador e paciente, 88,0% tem relação familiar e 92,0% era cuidador voluntário. A maioria dos cuidadores recebe ajuda de familiares que divide o cuidado tendo como a maior dificuldade no cuidado ao paciente a na mobilidade/transferência (72,0%).  Na avaliação da sobrecarga do cuidador, observou-se que a média utilizando a escala Zarit Burden Interview foi de 26,96 ± 13,91 pontos, com sobrecarga classificada como de média a moderada. Conclusões: O cuidado diário e ininterrupto se torna mais complexo na medida em que a finitude se aproxima pelo curso de evolução gradativa da doença. Esta complexidade, gera inseguranças, incertezas e vulnerabilidades ao cuidador, que resulta na sobrecarga enfrentada durante o cuidado em ambiente hospitalar.

Palavras-chave


Cuidados Paliativos, Cuidadores, Sobrecarga.

Referências


World Health Organization (WHO) [homepage na internet]. Who definition of palliative care [acesso em 05 dez 2019]. Disponível em:

www.who.int/cancerpalliative/definition/en/

Santos MCL, Pagliuca LMF, Fernandes AFC. Cuidados paliativos ao portador de câncer: reflexões sob o olhar de Paterson e Zderad. Rev Latino-Am de Enfermagem 2007; 15(2).

de Araújo, LZS, de Araújo CZS, Souto AKDBA, Oliveira MDS . Cuidador principal de paciente oncológico fora de possibilidade de cura, repercussões deste encargo. Rev Bras Enferm 2009; 62(1).

Miranda KE, Aravena VJ. Sobrecarga, apoyo social y autocuidado en cuidadores informales. Cienc Enferm 2012; 18(2): 23-30.

Yamashita, CH, Amendola F, Gaspar JC, Alvarenga MRM, Oliveira MAC.Associação entre o apoio social e o perfil de cuidadores familiares de pacientes com incapacidades e dependência. Rev Esc Enferm USP 2013; 47(6): 1359-1366

Brasil. Hospital Ophir Loyola (HOL) [homepage na internet]. Quem somos. [acesso em 06 jun 2018]. Disponível em: http://www.ophirloyola.pa.gov.br/content/quem-somos

da Costa TF, Costa KNDFM, Martins KP, de Melo Fernandes M.D.G, da Silva Brito S. Sobrecarga de cuidadores familiares de idosos com acidente vascular encefálico. Esc Anna Nery 2015; 19(2): 350-355.

Li-Quiroga ML, Alipázaga-Pérez P, Osada J, León-Jiménez F. Nivel de sobrecarga emocional en familiares cuidadores de personas con esquizofrenia en un hospital público de Lambayeque – Perú. Rev Chil Neuropsiquiatr 2015; 78(4): 232-239.

Rodríguez ÁR, Galve MIR. Influencia de la dependencia de los enfermos oncológicos en la sobrecarga de sus cuidadores familiares. Med Paliativa 2011; 18(4): 135-140.

Bianchin MA, Danza R, Fuzetto LA, Salvagno, V. Sobrecarga e depressão em cuidadores de pacientes oncológicos em tratamento quimioterápico. Arq Ciênc Saúde 2015; 22(3): 96-100.

Bailão ALDS. O cuidador informal em contexto oncológico: Sobrecarga e qualidade de vida familiar. Tese [Mestrado em Psicologia]. Coimbra: Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação; 2013.

Maronesi, LC, Silva NR, Cantu SO, Santos AR. Indicadores de estresse e sobrecarga em cuidadores formais e informais de pacientes oncológicos. Estud Pesq Psicol 2014; 14(3): 877-892.

Angarita OMV, Lizcano FO, Ardila NV. Sobrecarga de los cuidadores de pacientes oncológicos usuarios de la Clínica Cancerológica, en San José de Cúcuta. Investig Enferm Imagen Desarr: Imagen y Desarrollo 2012; 14(2): 85-95.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) [homepage na internet]. Conheça o Brasil – População – Educação [acesso em 05 dez 2019]. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18317-educacao.html

Rizo Vázquez AC, Molina Luís M, Milián Melero NC, Pagán Mascaró PE, Machado García, J. Caracterización del cuidador primario de enfermo oncológico en estado avanzado. Revista Cubana de Medicina General Integral 2016; 32(3), 0-0.

Brasil. Instituto Nacional do Câncer (INCA) [homepage na internet]. Incidência de Câncer no Brasil [acesso em 05 de dez 2019]. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/estimativa/2018/casos-taxas-regiao-norte.asp

Bastos BR, Pereira AKDS, Castro CCD, Carvalho MMCD. Perfil sociodemográfico dos pacientes em cuidados paliativos em um hospital de referência em oncologia do estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saúde 2018; 9(2): 31-36.

Caqueo-Urízar A, Segovia-Lagos P, Urrutia-Urrutia U, Castillo CM, Lechuga EN. Impacto de la relación de ayuda de cuidadores primarios en la calidad de vida de pacientes con cáncer avanzado. Psicooncología 2013; 10(1): 95-108.

González Guerra A, Fonseca Fernández M, Valladares González A, López Angulo L. Factores moduladores de resiliencia y sobrecarga en cuidadores principales de pacientes oncológicos avanzados. Revista Finlay 2017; 7(1): 26-32.

del Castillo OIAR, Morales-Vigil T, Vázquez-Pineda F, Sánchez-Román S, Ramos-del Río B, Guevara-López U. Sobrecarga, ansiedad y depresión en cuidadores primarios de pacientes con dolor crónico y terminales. Rev Méd IMSS 2008; 46(5): 485-494.

Grunfeld E, Coyle D, Whelan T, Clinch J, Reyno L, Earle CC, Willan A, Viola R, Coristine M, Janz T, Glossop R. Family caregiver burden: results of a longitudinal study of breast cancer patients and their principal caregivers. Cmaj 2004; 170(12): 1795-1801.

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.