RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS PARA HANSENÍASE: REVISÃO SISTEMÁTICA

Amanda Jordana Silva Souza, Christian Pacheco de Almeida, Tereza Cristina dos Reis Ferreira

Resumo


Introdução: A hanseníase é uma doença infectocontagiosa crônica, causada pela Mycobacterium leprae e manifesta seus principais sintomas na pele, nervos periféricos, na mucosa do trato respiratório superior e também nos olhos, além de algumas outras estruturas. A atuação do fisioterapeuta na hanseníase é direcionada a uma assistência mais ampla e integral.  Objetivo: Buscar e elucidar quais recursos fisioterapêuticos podem ser utilizados na reabilitação dos pacientes com hanseníase. Métodos: Trata-se de um estudo de revisão sistemática que levou em consideração outros estudos sobre a atuação da Fisioterapia na hanseníase, publicados entre janeiro de 2000 até julho de 2015, em português ou inglês. As buscas foram realizadas nas bases eletrônicas PubMed, SciELO, PEDro, BIREME e Cochrane Library. Resultados e Discussão: Devido à diversidade dos empregos metodológicos nos ensaios clínicos inclusos nesta revisão, não foi possível evidenciar em conjunto que os recursos utilizados pela Fisioterapia proporcionem resultados eficazes, diferente quando analisadas singularmente, percebe-se também uma pluralidade de técnicas que podem ser empregadas no manejo e assistência ao paciente com hanseníase e são pouco exploradas pelo Fisioterapeuta. Conclusão: O Fisioterapeuta inserido no contexto multidisciplinar de assistência ao paciente com hanseníase tem a sua disposição diversas técnicas e recursos que pode auxiliar no manejo e tratamento destes pacientes, diminuindo ou minimizando as incapacidades geridas pela patologia.



Palavras-chave


Hanseníase; Reabilitação; Modalidades de Fisioterapia.

Referências


Lima IB, Simpson CA; Cabral AMF. Activities limitation and social participation in patients with hansen’s disease. Jounal of Nursing. Rev. Enferm. UFPE on line. 2014; 8(4): 994-1001. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/9771. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v8i4a9771p994-1001-2014

Nunes JM, Oliveira EN, Vieira NFC. Hanseníase: conhecimentos e mudanças na vida das pessoas acometidas. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2011 [cited 2020 May 23]; 16(Suppl 1): 1311-1318. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000700065&lng=en. https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000700065

Ministério da Saúde (Brasil). Secretária de vigilância em saúde, Departamento de vigilância epidemiológica. Guia de vigilância epidemiológica. Programa Nacional de Eliminação de Hanseníase, Brasília, 2013.

Barbosa MCL, Costa MCN, Teixeira MG, Mota ELA, Pereira SM. Efeitos da descentralização das ações de vigilância epidemiológica para as equipes de Saúde da Família. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2010 Dez [citado 2020 Maio 23]; 19(4): 347-354. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742010000400005&lng=pt. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742010000400005

Miranda FAC, Fisioterapia na atenção básica: uma proposta de apoio (dissertação). Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Mestrado em Saúde; 2011. [acesso em mar. 2020]. Disponível em: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/95230

Rodini FCB, Gonçalves M, Barros ARSB, Mazzer N, Elui VMC, Fonseca MCR. Prevenção de incapacidade na hanseníase com apoio em um manual de autocuidado para pacientes. Fisioter. Pesqui. [Internet]. 2010 June [cited 2020 May 22]; 17(2): 157-166. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-29502010000200012&lng=en. https://doi.org/10.1590/S1809-29502010000200012

Jesen G D R. Hanseníase: abordagem fisioterapêutica. Revista Olhar Científico. Faculdades Associadas de Ariquemes. 2010 1(2): 332-339. 2010. Disponível em: http://www.olharcientifico.kinghost.net/index.php/olhar/article/viewFile/27/44

Meima A, Saunderson PR, Gebre S, Desta K, Habbema JD. Dynamics of impairment during and after 5 treatment: the AMFES cohort. Lepr Rev. 2001; 72(2): 158-70. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/11850177_Dynamics_of_impairment_during_and_after_treatment_The_AMFES_cohort. https://www.researchgate.net/deref/http%3A%2F%2Fdx.doi.org%2F10.5935%2F0305-7518.20010022

Ramos JMH, Souto FJD. Incapacidade pós-tratamento em pacientes hansenianos em Várzea Grande, Estado de Mato Grosso. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [Internet]. 2010 June [cited 2020 May 21]; 43(3): 293-297. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822010000300016&lng=en. https://doi.org/10.1590/S0037-86822010000300016

Araújo Marcelo Grossi. Hanseníase no Brasil. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [Internet]. 2003 June [cited 2020 May 20]; 36(3): 373-382. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822003000300010&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822003000300010

Rath S, Selles RW, Schreuders TA, Stam HJ, Hovius SE. A randomized clinical trial comparing immediate active motion with immobilization after tendon transfer for claw deformity. J Hand Surg Am. 2009; 34(3): 488‐494.e4945. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19258147/ https://doi.org/10.1016/j.jhsa.2008.11.014

Rath S. Immediate postoperative active mobilization versus immobilization following tendon transfer for claw deformity correction in the hand. J Hand Surg Am. 2008; 33 (2): 232-40. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/18294546/ https://doi.org/10.1016/j.jhsa.2007.10.012

Rath S, Schreuders TA, Stam HJ, Hovius SE, Selles RW. Early active motion versus immobilization after tendon transfer for foot drop deformity: a randomized clinical trial. Clin Orthop Relat Res. 2010; 468(9): 2477‐2484. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20401554/. https://doi.org/10.1007/s11999-010-1342-4

Véras LST, Vale RGS, Mello DB, Castro JAF, Lima V, Trott A et al . Electromyography function, disability degree, and pain in leprosy patients undergoing neural mobilization treatment. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [Internet]. 2012 Feb [cited 2020 May 23]; 45(1): 83-88. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822012000100016&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822012000100016

Lopes RSD, Barja PR, Matos LKBL, Delmondes FF, Lopes PFD, Silva KAS, Lima MO. Influência do alongamento muscular e da mobilização neural sobre a força do músculo quadríceps. ConScientiae Saúde. 2010; 9(4): 603-9. https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=saude&page=article&op=view&path%5B%5D=2355. https://doi.org/10.5585/conssaude.v9i4.2355

Diaz AF, Moro FL, Binotto JM, Fréz AR. Estudo comparativo preliminar entre os alongamentos proprioceptivo e estático passivo em pacientes com sequelas de hanseníase. Fisioter. Pesqui. [Internet]. 2008 Dez [citado 2020 Maio 19]; 15(4): 339-344. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-29502008000400004&lng=pt. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-29502008000400004

Lima GM, Miranda MGR, Ferreira TCR. Ação do exercício terapêutico nas neurites crônicas de membros superiores em pacientes portadores de hanseníase atendidos na Unidade de Referência Especializada em Dermatologia Sanitária Dr. Marcello Candia. Hansen Int. 2009; 34(1):9-16. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/ses-30707.

Yeng L, Stump P, Kaziyama H, Teixeira M, Imamura M, Greve J. Medicina física e reabilitação em doentes com dor crônica. Rev. Med. (São Paulo) [Internet]. 20dez. 2001 [citado 21 maio 2020]; 80(spe2): 245-5. Available from: http://www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/69755 https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v80ispe2p245-255

Barreto JG, Salgado CG. Clinic-epidemiological evaluation of ulcers in patients with leprosy sequelae and the effect of low level laser therapy on wound healing: a randomized clinical trial. BMC Infect Dis. 2010; 10:237. Published 2010 Aug 10. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20698989/. https://doi.org/10.1186/1471-2334-10-237

Gonçalves G, Gonçalves A

Padovani CR, Parizotto NA. Promovendo a cicatrização de úlceras hansênicas e não hansênicas com laserterapia: ensaio clínico em unidades ambulatoriais do Sistema Único de Saúde. Hansen. Int., 25(2): 133-142, 2000. Disponível em: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&cad=rja&uact=8&ved=2ahUKEwj8zcbCycrpAhWiB9QKHfWyAQQQFjAAegQIARAB&url=http%3A%2F%2Fwww.ilsl.br%2Frevista%2Fdownload.php%3Fid%3DimageBank%2F665-2323-1-PB.pdf&usg=AOvVaw0qXMyGG4mzj8jTbYOje18G

Taglietti M, Peres CPA. Exercise capacity and pulmonary function in individuals with leprosy. Fisioter. mov. [Internet]. 2014 Mar [cited 2020 May 23]; 27(1): 29-38. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502014000100029&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/0103-5150.027.001.AO03

Scheibe D, Oliveira JFP, Gonçalves SB, Gomes ARS, Macedo ACB. Mensuração do ângulo articular do cotovelo no teste de tensão neural em indivíduos com hanseníase. Fisioter. Pesqui. [Internet]. 2012 June [cited 2020 May 23]; 19(2): 165-170. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-29502012000200013&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-29502012000200013

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.