A TRAJETÓRIA DAS PARALIMPÍADAS ESCOLARES NO ESTADO DE MINAS GERAIS DE 2009 A 2017

Eraldo Sandi dos Santos, Adriano de Almeida Pereira, Clareana Serena Chiminte, Marcelo Monteiro Moraes, Orival Andries Júnior, Hugo Politano, Uebister Igor dos Santos Guedes, Alexandre Freitas de Carvalho, Matheus Valério Almeida Oliveira, Ricardo Pablo Passos, Guanis de Barros Vilela Junior, Ídico Luiz Pellegrinotti

Resumo


O esporte seja de lazer, de participação ou rendimento tem contribuido para o desenvolvimento da pessoa com ou sem deficiência. Através das políticas públicas, o esporte paralímpico, mesmo que discretamente, vem ganhando seu espaço. Para o fomento e surgimento de novos atletas, o Brasil tem realizado a proposta do esporte nas escolas e realizando competições juvenis no esporte convencional e paralimpíco. Os jogos escolares para pessoas com deficiência se iniciou em 2006 no municipio de Fortaleza-CE já em 2009 na cidade de Brasília-DF com uma nova estrutura e número maior de modalidades paralímpicas se iniciou as Paralimpíadas Escolares. O estado de Minas Gerais participou de todas as edições deste grandioso evento, diante desta efetividade do estado na competição foi passível analisar sua participação nas Paralimpíadas Escolares através dos boletins da competição cedidos pelo Comite Paralímpico Brasileiro. Conclui-se que o Estado de Minas Gerais tem contribuído para o fomento do esporte paralímpico brasileiro, com atletas que atuam nas respectivas seleções e modalidades paralímpicas.

Palavras-chave


Esporte, Paralimpíadas escolares, Paralímpico do futuro, Jogos escolares, Minas Gerais

Referências


GORLA, José Irineu; CALEGARI, Décio Roberto. O esporte como ferramenta de reconhecimento e valorizacão da pessoa com deficiência no Brasil. Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde, Campinas, v. 15, n. 2, p.257-270, abr. 2017. Trimestral.Disponívelem:. Acesso em: 10 jun. 2018.

SANDES, Dhennifer Binow; PINTO, Francionilho Pereira; SILVA, Murilo Delabela da. A prática do Handebol no Processo de desenvolvimento do educando no contexto Educacional e social. Universo Pedagógico, Nova Venécia, v. 7, p.1-107, jul. 2015. Semestral.

MARINGÁ. Admilson Santos. Universidade Estadual de Maringá (Org.). Esportes de invasão: Basquetebol – Futebol – Futsal – Handebol – Ultimate Frisbee. Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2014. 326 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Física e Desportos. (Org.). Esporte na escola:Os XVIII jogos escolares brasileiros como marco reflexivo. Brasília: Mec/seed, 1989. 195 p.

NUNES, Camila da Cunha; CUNHA, Gabriel Severo Venco Teixeira da. Estado e as políticas públicas esportivas: o contexto brasileiro. Revista da ALESDE, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 04-15, setembro 2014. Disponível em: . Acesso em: 31 maio 2018

OLIVEIRA, Valéria da Silva Augusto de. Políticas Públicas em esportes no Brasil. Policy in sportsarea in Brazil -doi: 10.5102/unijus.v22i2.1541. Universitas Jus, Brasília, v. 22, n. 2, p.197-224, 18 set. 2011. Centro de Ensino Unificado de Brasilia. http://dx.doi.org/10.5102/unijus.v22i2.1541.

BRASIL. Ministério do Esporte. Ministério do Esporte. Paraolimpíadas Escolares 2016 serão disputadas no CT Paralímpico, em São Paulo. 2006. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2018.

BRASIL. PARAOLÍMPICO. Brasília: Gráfica Brasil, v.23, Novembro 2006. Bimestral.

BRASIL PARAOLÍMPICO. Brasília: Inventum Desing, v.38, Outubro 2011. Bimestral.

BRASÍLIA. MINISTÉRIO DO ESPORTE. . SP receberá 800 atletas juvenis nas Paralimpíadas Escolares 2014: Serão sete modalidades: atletismo, natação, goalball, tênis de mesa, bocha, judô e tênis em cadeira de rodas. 2014. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2018

GONÇALVES, Luiz Felipe Silva. Política de estímulo a prática esportiva em Minas Gerais: uma análise dos jogos escolares. 2017. 107 f. Monografia (Especialização) - Curso de Administração Pública, Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho da Fundação João Pinheiro, Belo Horizonte, 2017.

WANDERLEY, C. B.; LEROY, F. L.D.; CRUZ, R. M. S. G.; LEITE, E, T. Pequenos eventos esportivos, turismo e impactos locais: os jogos JIMI e JEMG em Minas gerais. Marketing & Tourism review, v3, n1, p. 1-26,2018.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

COMITÊ PARALÍMPICO BRASILEIRO (São Paulo). REGULAMENTO PARALIMPÍADAS ESCOLARES: Edições anteriores. 2009 a 2017. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2018.

COMITÊ PARALÍMPICO BRASILEIRO (São Paulo). Técnicos convocam atletas para o Mundial de Jovens de Goalball. 2017. Disponível em: . Acesso em: 09 nov. 2018.

OBSERVAÇÃO: Os autores declaram não existir conflitos de interesse de qualquer natureza.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.