REPERCUSSÕES DA REALIDADE VIRTUAL SOBRE O EQUILÍBRIO, TÔNUS MUSCULAR E QUALIDADE DE VIDA DE CRIANÇAS COM ENCEFALOPATIA CRÔNICA NÃO EVOLUTIVA DA INFÂNCIA

Vitória de Paula Sena de Souza Cruz, Kamila Vitória Rezende Ferreira, Arielle Raissa Borges Melo, Larissa Salgado de Oliveira Rocha

Resumo


Objetivo: O estudo tem como objetivo verifcar a influência da realidade virtual sobre o equilíbrio, tônus muscular e qualidade de vida de crianças com diparesia espástica decorrente da Encefalopatia Crônica Não Evolutiva da Infância (ECNEI). Métodos: Série de dois casos em indivíduos do sexo feminino com diagnóstico de ECNEI do tipo diparesia espástica submetidas a avaliação de equilíbrio pela escala de Berg, tônus muscular pela escala de ashworth e qualidade de vida por meio do Auto Questionário de Qualidade de Vida na Infância (AQQVI) antes e após o protocolo aplicado com realidade virtual 3 vezes por semana totalizando 24 sessões. Resultados: Em relação a avaliação do tônus muscular paciente evoluiu de uma leve hipertonia para normotonia, quanto o equilíbrio observou-se melhora na média do equilíbrio de ambas as crianças, em relação ao pós tratamento. Diante da qualidade de vida, obteve-se resultados positivos em ambas as crianças quando analisado pelo questionário AQQVI. Conclusão: O protocolo de realidade virtual (RV) do presente estudo mostrou-se benéfco no tônus muscular, equilíbrio e consequentemente influenciou na qualidade de vida das participantes analisadas, devido ao meio lúdico que proporciona melhor desenvolvimento. Trazendo também satisfação dos cuidadores ao observar a melhora que foi obtida.


Palavras-chave


Realidade virtual; Fisioterapia; Espasticidade; Pediatria; Qualidade de vida; Paralisia cerebral

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.