Qualidade de vida no trabalho e riscos ocupacionais dos mototaxistas: um estudo de caso

Maria Eliane de Sousa Albuquerque, Renata Soares Moraes, Joyce Mourão Ximenes, Claúdia Cristina Bastos Moura, Raimundo Oneti de Freitas Junior, Francisco Rosemiro Guimarães Ximenes Neto

Resumo


O estudo em tela objetivou identificar os riscos ocupacionais aos quais o mototaxista está exposto e a percepção deste em relação à qualidade de vida no trabalho. Trata-se de um estudo descritivo, sob abordagem qualitativa, do tipo estudo de caso, realizado no mês de março de 2013, município de Sobral-CE. A coleta das informações foi realizada por meio de uma entrevista semi-estruturada,bem como da observação participante e o estudo do meio e memorial fotográfico do processo de trabalho. Após a sistematização, as informações foram organizadas nas seguintes categorias: O Caso e seu labor, Riscos ocupacionais e Percepção sobre qualidade de vida no trabalho. O mototáxi entrevistado tem 41 anos, é casado e além de mototaxista exerce a profissão de auxiliar de enfermagem em um hospital do município. Identificamos que o mototaxista está exposto aos seguintes riscos ocupacionais: acidente de trânsito, assalto, estresse, hemorróida, insolação, desidratação, bronquite alérgica, lombalgia, perda da visão e câncer de pele. O presente trabalho possibilitou um maior conhecimento sobre a realidade vivenciada pelos mototaxistas. Na ocasião foi possível perceber que esta classe está exposta constantemente a riscos inerentes à profissão e também ao espaço no qual este profissional exerce suas atividades, neste caso o trânsito, o que reflete diretamente nos aspectos relacionados à sua qualidade de vida.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.