ANÁLISE DA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA COM O USO DE ULTRASSOM NO FIBROEDEMA GELÓIDE: REVISÃO DE LITERATURA

Alessyanne Terezinha da Rocha Almeida, Camila Martins Leal, Rafael Araujo Motta, Valéria Renata Monteiro Sousa, Larissa Salgado de Oliveira Rocha

Resumo


Introdução: O Fibroedema Gelóide (FEG) surge devido a um funcionamento anormal dos adipócitos,
que provoca o acúmulo exacerbado de lipídios, que podem ser minimizados em consequência das vibrações
longitudinais características do ultrassom (US), assim, um gradiente de pressão é desenvolvido nas células
obrigando o movimento celular. Objetivo: Entender a ação do ultrassom sobre o Fibroedema gelóide.
Métodos: Para a coleta de dados foram utilizadas as bases SCIELO, LILACS, PUBMED e MedLine.
Inicialmente, foram encontrados 105 registros, desses, apenas 17 foram selecionados por contemplarem
os critérios relevantes ao estudo. Resultados: verifcou-se que o tratamento do FEG com a associação
do ultrassom terapêutico e outras modalidades terapêuticas, teve efcácia na amenização do quadro de
fbroedema gelóide nas regiões das coxas, abdômen e glúteos. Além disso, melhorou o aspecto da pele e
autoestima dos pacientes. No entanto, alguns estudos não obtiveram resultados signifcativos com o uso de
ultrassom, tornando-se necessário a associação de hábitos de vida saudáveis, uma vez que, estas amostras
apresentavam participantes sedentários e sem uma alimentação balanceada. Conclusão: O Ultrasom
demonstrou resultados promissores no tratamento do FEG, no que se refere a melhora da circulação e
consistência tecidual, melhorando a aparência da pele.


Palavras-chave


Lipodistrofa, Celulite, Terapia por Ultrassom

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.