EFEITOS DE UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO AQUÁTICA NA FUNÇÃO CARDIORRESPIRATÓRIA DE INDIVÍDUOS COM NEUROTOXOPLASMOSE ASSOCIADA À SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA

Daniella M. Seawright Oliveira, Elciane S. de Medeiros, Helber T. de Assunção Machado, Larissa S. de Oliveira Rocha, Rodrigo S. Barbosa Rocha

Resumo


O objetivo do estudo foi verifcar os efeitos de um programa de reabilitação aquática sobre variáveis cardiorrespiratórias de pacientes com Neurotoxoplasmose decorrentes da Síndrome da Imunodefciência Adquirida (SIDA). Foi realizado um estudo intervencional, com amostra de nove indivíduos que apresentavam diagnóstico clínico de Neurotoxoplasmose associada à SIDA e de ambos os gêneros. Após a avaliação no pré-tratamento, os voluntários foram submetidos individualmente ao tratamento de hidroterapia em piscina terapêutica com temperatura de 34 a 36°C, durante três vezes por semana, com duração de 50 minutos, totalizando 24 sessões. Utilizou-se o teste de Shapiro Wilk e o teste t de Student para análise pré e pós-tratamento (p<0,05). A amostra foi composta por três indivíduos do gênero feminino (33,33%) e seis do gênero masculino (66,67%), com média de idade de 37,44±5,5 anos. Das variáveis cardiorrespiratórias analisadas antes e depois da intervenção, observou-se diferença estatisticamente signifcativa para Pico de Fluxo Expiratório (p=0.0006), Pressão Inspiratória Máxima (p= 0.01635) e Pressão Expiratória Máxima (p=0.0103Diante dos achados do presente estudo constata se que a reabilitação cardiopulmonar por meio da hidroterapia mostrase de grande valor e importância aos pacientes com Síndrome da Imunodefciência Adquirida associada à Neurotoxoplasmose.

Palavras-chave


hidroterapia; síndrome da imunodefciência adquirida; fsioterapia.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.