TERAPIA ESPELHO EM HEMIPARÉTICOS CRÔNICOS: ANÁLISE FUNCIONAL

Marcela Araújo Fagundes, Samara Melo Lobato, Lizandra Dias Magno, Luciane Lobato Sobral, Rodrigo Santiago Barbosa Rocha, Larissa Salgado de Oliveira Rocha

Resumo


Este estudo objetivou verificar a influência de um protocolo de Terapia Espelho sobre a Funcionalidade de pacientes com sequelas de Acidente vascular encefálico. Selecionou-se oito voluntários de idade média de 52,75 ± 6,63 anos com hemiparesia crônica após Acidente vascular encefálico, submetidos a um protocolo de exercícios ativos com a caixa espelho, realizando 12 sessões durante três vezes na semana, por 35 minutos e avaliados no pré e pós-tratamento por meio da escala modificada de Fulg-Meyer Assessment para análise das variáveis do membro superior. Utilizou-se o teste de Shapiro Wilk  para normalidade e os testes t de Student e Qui-quadrado para análise pré e pós-tratamento (p≤0,05). Na análise quantitativa da escala de Fulg- Meyer Motor Assessment foi verificado melhora de todas as variáveis do membro superior no pós-tratamento quando comparado ao pré-tratamento (p≤0,05). Conclui-se que o protocolo de terapia espelho utilizado no estudo influenciou na funcionalidade do membro superior parético dos indivíduos com Acidente vascular encefalico, que tendem a apresentar os piores prognósticos, uma vez que os mesmos passaram a utilizar mais a extremidade superior acometida para realizar suas atividades funcionais gerando maior independência funcional.


Palavras-chave


Acidente vascular cerebral; Terapia por Exercício; Reabilitação; Fisioterapia

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.