FADIGA NEUROMUSCULAR, ELETROMIOGRAFIA, MECANOMIOGRAFIA E PRODUÇÃO DE FORÇA EM UM PROTOCOLO SUBMÁXIMO

Dayna Karina Goberna Noda, Fábio S. F. Vieira, Gustavo Celestino Martins, Leandro Borelli Camargo, Claudio Novelli, Raul Marcel Casagrande, Ricardo Pablo Passos, Guanis de Barros Vilela Junior

Resumo


A eletromiografia (emg) e a mecanomiografia (mmg) vem sendo uma das técnicas mais utilizadas para o estudo das funções musculares. o objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento dos sinais emg, mmg e da produção de força quanto à viabilidade do uso simultâneo destas técnicas para se detectar o surgimento do processo de fadiga neuromuscular. por meio do exercício curl-up aplicamos um protocolo de contração submáxima isométrica. participaram da pesquisa 6 sujeitos adultos jovens saudáveis do gênero masculino. foi extraída dos sinais a root-mean square (rms). a emg apresentou um aumento do momento inicial ao momento final da tarefa, mediana (inicial: 0,05; final: 0,68) e desvio padrão (inicial: 0,81; final: 0,80). a mmg também demonstrou aumento, não significante para p < 0,05, já a força diminuiu 27,84% do começo ao fim da tarefa.Concluiu-se que o uso concomitante das três técnicas foi eficaz para a detecção da fadiga neuromuscular na amostra.

Palavras-chave


fadiga muscular, eletromiografia, mecanomiografia

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.