ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA PAIS E FILHOS

Guiomar Virgínia V. A. de Toledo Batello, Edivan Antonio de Carvalho Filho Sousa, Eucleiton Neres Brito, Fernando Rodrigues Peixoto Quaresma, Erika da Silva Maciel

Resumo


O estudo teve como objetivo analisar o nível de atividade física e a percepção da qualidade de vida dos adolescentes escolares e seus respectivos pais, em uma escola na cidade de Palmas/TO. Estudo transversal com abordagem quantitativa, com amostra de 40 adolescentes de ensino médio, e seus respectivos pais. Os instrumentos utilizados foram: Questionário Internacional de Atividade Física versão 8, forma curta e semana normal (IPAQ) e questionário WHOQOL-bref, para avaliar a percepção da qualidade de vida. Verificou-se que os indivíduos apresentam uma prevalência do nível de atividades física alto. Dentre os adolescentes 41,67% são muito ativos e 58,33% são ativos, já em relação aos pais 50% realizam atividade física, 16,67% são insuficientemente ativos e 33% encontram-se sedentários. Em relação aos domínios da qualidade de vida, os adolescentes apresentaram escores superiores e que diferiram estatisticamente de seus pais, que obtiveram escores maiores somente no domínio relações sociais (14,44%) em relação aos seus filhos (13,89%), sugerindo que apesar da percepção de qualidade de vida superior dos adolescentes suas relações sociais parecem ser limitadas ou não satisfatórias o suficiente, justamente em uma fase da vida geralmente caracterizada por momentos de grandes vivências sociais.


Palavras-chave


Adolescente; Atividade Física; Qualidade de Vida; Escolares, Pais

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.