FADIGA CENTRAL E PERIFÉRICA: UMA BREVE REVISÃO SOBRE OS EFEITOS LOCAIS E NÃO LOCAIS NO SISTEMA NEUROMUSCULAR

Willy Andrade Gomes, Charles Ricardo Lopes, Paulo Henrique Marchetti

Resumo


A fadiga pode ser definida como uma redução progressiva da eficiência muscular em produzir força e potência por períodos prolongados, ocorrendo de forma periférica e/ou central. Diversos mecanismos e sistemas podem afetar a fadiga sendo esta considerada multifatorial. A fadiga pode acometer diferentes locais através de variados mecanismos, levando à redução do desempenho na atividade alvo, ou em atividades subsequentes. Curiosamente, o processo de fadiga pode envolver tanto o membro fadigado (fadiga local) como o membro não fadigado (fadiga não local). Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi realizar uma breve revisão de literatura sobre os efeitos de diferentes protocolos de fadiga neuromuscular local e não local no desempenho físico. Apesar de verificar inúmeros mecanismos relacionados à fadiga neuromuscular, fatores como o tipo de fibra muscular, o gênero, o protocolo experimental utilizado e o nível de condicionamento físico dos sujeitos avaliados podem influenciar nos efeitos da fadiga local e não local.


Palavras-chave


desempenho; força; eletromiografia

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.